Associe-se

De acordo com o estatuto social da ANJ, podem se filiar à ANJ:
- Jornais diários, de circulação paga;
- Jornais Semanais, de circulação paga, desde que tenham 3 anos no mínimo de fundação;
- Jornais Online, desde que constituídos sob as mesmas regras das empresas jornalísticas;
- Jornais gratuitos, desde que empresas sob controle de associada da ANJ, ou online, desde que constituídos sob as mesmas regras de constituição das empresas jornalísticas.

No Título II, Capítulo I, Art. 7º do Estatuto Social da ANJ estão relacionados os critérios para filiação. Ver abaixo um extrato do estatuto.

Caso seu jornal preencha os requisitos, a documentação deve ser encaminhada à ANJ, para análise e posterior envio para aprovação da Diretoria. O valor da mensalidade é informado após o recebimento da documentação. Todos os documentos necessários para abertura do processo de filiação encontram-se abaixo.

Documentação necessária para o processo de filiação:

Enviar a documentação (cópias dos documentos com autenticação original e exemplares do jornal) para:

Associação Nacional de Jornais
Processo de Filiação
SAF/SUL, Quadra 02, Bloco “D”, Ed. Via Esplanada, Sala 101
70070-600  Brasília - DF


Vantagens
  • Beneficiar-se da liminar que suspendeu o adicional de periculosidade dos motociclistas;
  • apoio em questões de interesse dos jornais brasileiros junto ao Congresso Nacional, Ministérios, Órgãos Públicos e Entidades Civis;
  • acesso ao sistema de acompanhamento legislativo, no qual o associado terá acesso aos projetos de lei de interesse da indústria Jornal, em tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado Federal;
  • acompanhamento dos acontecimentos nacionais e internacionais relacionados à indústria jornalística, como liberdade de expressão, desenvolvimento tecnológico, recursos humanos, abastecimento de papel de imprensa, marketing e publicidade;
  • assessoria jurídica de caráter não individualizado;
  • participação em campanhas institucionais de valorização da mídia Jornal;
  • exposição da logo do jornal no site da Jornal ANJ;
  • manifestação formal da instituição em casos de ameaça à liberdade de imprensa e do livre exercício da profissão de jornalista;
  • direito a participar dos eventos realizados pela ANJ  (no caso de eventos pagos, há tarifas diferenciadas para associados);
  • possibilidade de participar, com tarifas diferenciadas, de alguns eventos realizados por entidades congêneres ou parceiras da ANJ – nacionais e internacionais  (WAN-IFRA, SIP, INMA, ANER, etc);
  • recebimento do Informativo ANJ, uma seleção das principais notícias relacionadas à indústria jornalística e ao mercado de comunicação;
  • consultoria permanente nas diversas áreas que afetam as atividades das sociedades jornalísticas, por meio dos Comitês;
  • possibilidade de integrar os diversos comitês temáticos da ANJ de acordo com o interesse do jornal (Comitê Editorial, Anunciante, Jurídico, Relações Governamentais, Gestão, RH, Mercado Leitor, Operações, Estratégias Digitais etc);
  • participação no Programa ANJ de Defesa da Liberdade de Imprensa.
Código de Ética e Autorregulamentação

Os jornais afiliados à ANJ – Associação Nacional de Jornais comprometem-se a cumprir os seguintes preceitos:

  • Manter sua independência.
  • Sustentar a liberdade de expressão, o funcionamento sem restrições da imprensa e o livre exercício da profissão.
  • Apurar e publicar a verdade dos fatos de interesse público, não admitindo que sobre eles prevaleçam quaisquer interesses.
  • Defender os direitos do ser humano, os valores da democracia representativa e a livre iniciativa.
  • Assegurar o acesso de seus leitores às diferentes versões dos fatos e às diversas tendências de opinião da sociedade.
  • Garantir a publicação de contestações objetivas das pessoas ou organizações acusadas, em suas páginas, de atos ilícitos ou comportamentos condenáveis.
  • Preservar o sigilo de suas fontes.
  • Respeitar o direito de cada indivíduo à sua privacidade, salvo quando esse direito constituir obstáculo à informação de interesse público.
  • Diferenciar, de forma identificável pelos leitores, material editorial e material publicitário.
  • Corrigir erros que tenham sido cometidos em suas edições.

Parágrafo único. As associadas deverão adotar, de forma transparente, mecanismos e critérios próprios de autorregulamentação, e que sejam de conhecimento do seu público leitor.

Extrato do Estatuto Social da ANJ

TÍTULO II – DAS ASSOCIADAS

CAPÍTULO I – DAS CATEGORIAS SOCIAIS

Art. 7º. O quadro da ANJ será constituído por sociedades brasileiras editoras de jornais de circulação paga, em língua portuguesa e para o público em geral, ou por pessoas naturais.

§1º. Poderão filiar-se à ANJ as sociedades brasileiras editoras de jornais online, desde que constituídas sob as mesmas regras das sociedades previstas no caput.

§2º. Poderão associar-se também sociedades brasileiras editoras de jornais de circulação gratuita, desde que empresas sob controle de associadas da ANJ ou sob controle comum.

Art. 8º. As associadas classificam-se em:

I – FUNDADORAS: sociedades que estiveram representadas na Assembleia Geral da fundação da ANJ, realizada em 17 de agosto de 1979;

II – EFETIVAS: sociedades que editam jornais de circulação diária há, no mínimo, 3 (três) anos, ou que editam jornais de circulação regular, desde que controladas, direta ou indiretamente, por associadas FUNDADORAS ou EFETIVAS, ou por seus controladores;

III – PARTICIPANTES: sociedades que editam jornais de circulação, no mínimo, semanal, por mais de 3 (três) anos ininterruptos, bem como aquelas referidas nos parágrafos 1º e 2º do art. 7º;

IV – TEMPORÁRIAS: sociedades que, embora não possuindo o prazo mínimo para se tornarem EFETIVAS, possam ser admitidas ao quadro da associação;

V – HONORÁRIAS: pessoas naturais ou sociedades que tenham prestado ao jornalismo ou à ANJ serviços relevantes, como tais reconhecidos pela associação;

VI – COLABORADORAS: pessoas naturais ou sociedades que, a critério da ANJ, contribuam para que a associação alcance seus objetivos.

§ 1º. As associadas Efetivas, Participantes e Temporárias deverão estar devidamente matriculadas como sociedades jornalísticas no respectivo registro.

§ 2º. As associadas Honorárias não estão obrigadas a qualquer contribuição ou prestação de serviços à ANJ.

CAPÍTULO II – DA ADMISSÃO E DEMISSÃO AO QUADRO DA ANJ

Art. 9º.  A admissão ao quadro da ANJ far-se-á por solicitação direta da interessada.

§ 1º. A interessada deverá preencher ficha cadastral fornecida pela ANJ, contendo os dados pertinentes à atividade desenvolvida.

§ 2º. A solicitação ou proposta será encaminhada ao exame da Diretoria, efetivando-se a aprovação por maioria absoluta de seus membros.

§ 3º. A admissão de associada Honorária será proposta pela Diretoria e encaminhada à Assembleia Geral, efetivando-se a aprovação por maioria absoluta de seus membros.

§ 4º. A admissão aos quadros da ANJ somente se dará quando o interessado subscrever e obrigar-se ao respeito e cumprimento do Código de Ética e Autorregulamentação da ANJ.

§ 5º. Não serão admitidas ao quadro da ANJ as sociedades que editam jornais oficiais ou sejam vinculadas, direta ou indiretamente, a pessoas jurídicas de direito público ou a partidos políticos.

Art. 9º-A. É facultado ao associado demitir-se do quadro da ANJ, quando julgar necessário, por meio de protocolo junto à Diretoria, arcando com suas obrigações associativas até a data do referido pedido.

CAPÍTULO III – DOS DIREITOS E DEVERES

SEÇÃO I – DOS DIREITOS

Art. 10.  São direitos das associadas Fundadoras e Efetivas:

I – participar das Assembleias Gerais, por seus representantes devidamente credenciados ou reconhecidos pela ANJ;

II – votar e ser votada, desde que em dia com suas obrigações estatutárias;

III – encaminhar proposta de admissão ao quadro social;

IV – beneficiar-se dos serviços ordinariamente oferecidos pela ANJ;

V – comparecer às assembleias, congressos, conferências, seminários e outros eventos promovidos pela ANJ e frequentar a sua sede social;

VI – oferecer teses, sugestões ou proposições a serem apreciadas pela ANJ.

Art. 11. É vedada a outorga de procuração a outra associada para a prática de qualquer ato.

Art. 12. As associadas Participantes, Temporárias, Honorárias e Colaboradoras gozarão de todos os direitos outorgados às Fundadoras e Efetivas, exceto os de votarem e serem votadas.

Art. 13. O exercício dos direitos previstos neste Estatuto condiciona-se à satisfação das exigências estatutárias.

Parágrafo único. A preservação dos direitos exclusivos das associadas FUNDADORAS previstos neste Estatuto depende, em caso de mudança de seu controle acionário, de expressa ratificação por parte de dois terços das demais associadas FUNDADORAS.

SEÇÃO II – DOS DEVERES

Art. 14.  São deveres das associadas:

I – zelar pelo bom nome da ANJ e colaborar, de forma permanente, para a consecução de seus objetivos;

II – veicular, graciosamente, por seus jornais, as divulgações expedidas pela ANJ, quando do interesse da atividade dos jornais do país;

III – efetuar pontualmente o pagamento de suas contribuições financeiras;

IV – cumprir este Estatuto e as deliberações das Assembleias Gerais, do Conselho de Administração e da Diretoria da ANJ;

V – respeitar as normas prescritas no Código de Ética e Autorregulamentação previstas neste Estatuto e informar, por escrito, à entidade os mecanismos próprios de autorregulamentação adotados, na forma do parágrafo único do art. 44;

VI – desempenhar, uma vez aceitas, as funções para as quais foram eleitas ou designadas pelos órgãos de administração da ANJ;

VII – zelar pela conservação dos bens da ANJ;

Para ver o estatuto completo, clique aqui

Vantagens