SIP condena assassinato de jornalista dentro de uma escola no México

SIP condena assassinato de jornalista dentro de uma escola no México

A Sociedade Interamericana de Prensa (SIP) repudiou o assassinato, na última terça-feira (19), do jornalista mexicano Gumaro Pérez Aguilando. A entidade instou as autoridades do México a investigar com celeridade e, também, garantir o julgamento dos responsáveis pelo crime para romper com o ciclo de impunidade no país, um dos pilares da extrema violência contra jornalistas.

Pérez Aguilando foi morto a tiros durante a festa de final de ano da escola do filho em Acayucán, no Estado de Veracruz. Os atiradores fugiram e ainda são procurados pela polícia. Fundador do site La Voz del Sur e funcionário da prefeitura local, o jornalista era especializado em noticiário policial e havia pediu escolta para suas reportagens em 2015.

Ao repudiar o crime, o presidente da SIP, Gustavo Mohme, destacou como desprezível o fato de o assassinato ter ocorrido dentro de uma escola. O presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da entidade, Roberto Rock, por sua vez, questionou os esquemas de proteção a jornalistas. A limitação desses serviços, enfatizou Rock, aumentam as chances de os jornalistas serem vitimados em atividades pessoais.

Com a morte de Pérez Aguilando, o México registra 12 homicídios de comunicadores neste ano, o mesmo número de profissionais mortos em 2017 na Síria, em guerra civil desde 2011, segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). As ameaças dos cartéis do tráfico de drogas e de políticos regionais, alguns deles envolvidos com o crime organizado, estão entre os principais motivos para o alto número de jornalistas mortos no país.

Leia mais em:

http://www.sipiapa.org/notas/1211981-la-sip-repudia-asesinato-periodista-mexico