CPJ alerta para a segurança de jornalista ameaçado por narcotraficante solto pela justiça no Paraguai

CPJ alerta para a segurança de jornalista ameaçado por narcotraficante solto pela justiça no Paraguai

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) expressou preocupação com segurança do jornalista paraguaio Cándido Figueredo a partir da liberação do narcotraficante Felipe Escurra Rodríguez, na semana passada. O criminoso, que havia ameaçado de morte o correspondente do diário ABC Color na cidade Pedro Juan Caballero, fronteira com o Brasil, foi preso em em 2016. No dia 2 de setembro, entretanto, um juiz do município de Capitán Bado, também fronteiriço ao território brasileiro, determinou a soltura de Escurra Rodríguez, argumentando que não haviam provas suficientes contra ele.

“Esta decisão aumenta o risco para um dos jornalistas que enfrenta mais perigo no Paraguai”, disse Robert Mahoney, sub-diretor executivo do CPJ. “A liberação de um homem que ameaçou matar Cándido Figueredo somente aumenta a responsabilidade das autoridades de assegurar o bem-estar e a liberdade do jornalista”, advertiu. Em 2012, a polícia brasileira informou a Cándido Figueredo que havia interceptado uma chamada telefônica na qual Escurra Rodríguez conversava sobre planos de assassinar o jornalista em represália a seus textos sobre o envolvimento do narcotraficante em pistas aéreas clandestinas.

Cándido Figueredo tem vivido sob proteção policial 24 horas por dia durante mais de duas décadas, tendo sofrido diversas ameaças por causa da cobertura que faz do crime organizado e do narcotráfico. Em 2015, o CPJ outorgou ao jornalista o Premio Internacional de la Libertad de Prensa.

Leia mais em:

https://cpj.org/2017/09/paraguayan-judge-releases-drug-trafficker-who-had-.php