essica Rovello, CEO e co-fundadora da Arkadium essica Rovello, CEO e co-fundadora da Arkadium /Reprodução

Anúncio programático direto ganha relevância e vira arma dos publishers diante do duopólio

Os gigantes digitais, em especial Google e Facebook, terminam 2017 desgastados pela incapacidade de garantir segurança às marcas anunciantes e sob a desconfiança dos usuários diante da continuidade de profusão das notícias falsas. Ao contrário, os produtores de conteúdo jornalístico ganharam mais confiança de quem procura informação e de quem quer vender produtos e serviços sem riscos. Enquanto a balança pende um pouco para o lado publishers, é preciso agregar mais pesos para que tendência se confirme. Um desses pesos, diz Jessica Rovello, CEO e co-fundadora da Arkadium, que atua junto a mais de 450 marcas e publishers, são os anúncios programáticos diretos.

Os comerciantes, diz Rovello em texto no site MediaShift, estão adotando esse tipo de compra de anúncios – transações que ocorrem em uma troca privada, com inventário premium e segurança de marca – mais do que qualquer outra forma de programação. De acordo com o eMarketer, a publicidade programática direta representará 56% dos investimentos em anúncios com base em programação este ano. Em contrapartida, de acordo com recente relatório, os gastos com anúncios programáticos tradicionais diminuíram 12% na relação anual, por conta da perda de confiabilidade das principais mídias com base em tecnologia, como Google e seu Youtube, Facebook e Twitter.  

Rovello ressalta que, dentro desse segmento, os anunciantes querem maior transparência sobre impressões e tráfego, uma garantia dada por quem tem a credibilidade como princípio basilar em seus negócios, como os publishers. “E, com essa inteligência adicional, os publishers também podem negociar melhores preços para seu inventário”, afirma Rovello. Por isso, continua ela, investir na alta qualidade jornalística, em qualquer formato e narrativa, continuará a ser a chave para os produtores de conteúdo. “Ao manter altos padrões editoriais, focando em anúncios nativos e trazendo inventário direto programático, os publishers podem ganhar uma vantagem sobre o duopólio e servir de forma mais eficaz a seus anunciantes”, destaca.

Leia mais em:

http://mediashift.org/2017/11/publishers-secret-weapon-facebook-google-brand-safety/