The Guardian e The New York Times avançam no digital, mas resultados projetam segundo semestre “mais desafiador” Reprodução

The Guardian e The New York Times avançam no digital, mas resultados projetam segundo semestre “mais desafiador”

Donos de modelos de monetização digital dos mais bem-sucedidos entre jornais de todo o mundo, The New York Times, dos Estados Unidos, e The Guardian, do Reino Unido, apresentaram resultados positivos em balanços divulgados nesta quarta-feira (7). Nos dois casos os destaques são os números positivos em investimentos feitos pelos leitores junto às edições online. O veículo norte-americano é a principal referência da imprensa em assinaturas digitais (em paywall), enquanto diário britânico mantém um sistema de apoiadores e doações.

O Guardian Media Group (GNM), que edita o The Guardian, confirmou ter atingido sua meta de equilíbrio financeiro, já que a receita subiu para £ 224,5 milhões no último ano financeiro (encerrado em 31 de março de 2019), auxiliada pelo crescimento das receitas digitais e pelo aumento das contribuições dos leitores. O grupo registou um lucro antes dos impostos de £ 31m no período, acima de uma perda antes de impostos de £ 25m no ano fiscal anterior.

O balanço detalha o sucesso das operações internacionais da empresa pela primeira vez. A receita de publicidade e contribuições do leitor nas operações Guardian Estados Unidos e Guardian Austrália somente online cresceu para £ 30,8 milhões no último ano financeiro (encerrado em abril), o equivalente a 14% das receitas globais do Guardian Media Group. Isso ajudou a empresa a aumentar as receitas totais em 3% para 224,5 milhões de libras em um mercado difícil, com um recorde de 163 milhões de navegadores e 1,35 bilhão de visualizações de páginas em março de 2019.

O The Guardian contou com 655 mil apoiadores regulares e mais 300 mil contribuintes pontuais nos últimos 12 meses, enquanto 80% das receitas com publicidade do GNM são de origem digital. A publicidade impressa no Reino Unido agora representa apenas 8% da receita total da empresa. Foram confirmados os resultados que dão ao jornal The Guardian o seu primeiro resultado financeiro positivo (£ 800 mil) pela primeira vez em 20 anos, no encerramento do ano fiscal que vai até abril.

Mas a Guardian News and Media, braço editorial do grupo que produz os jornais The Guardian e The Observer, registrou prejuízo de 7 milhões de libras (EBITDA) nos 12 meses até o final de março de 2019.

“Alcançar um terceiro ano consecutivo de crescimento de receita e atingir nossa meta de equilíbrio é um tributo a todos dentro de nossa organização. A GNM foi transformada nos últimos três anos em um negócio mais financiado por leitores, mais digital e mais internacional”, disse David Pemsel, diretor-executivo do grupo.

Nos Estados Unidos, jornal o The New York Times divulgou receita abaixo das estimativas de Wall Street, em um alerta para quedas na publicidade digital para o resto do ano. A The New York Times Company registrou crescimento de receita de 5,2% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado.

O lucro operacional diminuiu na mesma proporção, para US $ 37,9 milhões, de US $ 40 milhões no ano anterior. O lucro operacional ajustado, a medida de desempenho preferida da empresa, caiu 6,4%, para US$ 55,6 milhões. Em comunicado, Mark Thompson, diretor-executivo da empresa, disse que a queda no lucro foi "em grande parte resultado do investimento contínuo no crescimento de nosso negócio de assinaturas".

O número de assinaturas pagas, digitais e impressas, do jornal The New York Times chegou a 4,7 milhões, em alta. Quase 3,78 milhões de pessoas são agora assinantes dos produtos online da editora. A empresa adicionou um total líquido de 197 mil clientes para seus aplicativos de notícias, palavras cruzadas e culinária durante o segundo trimestre de 2019. "Estamos fazendo um progresso constante em direção à nossa meta de atingir 10 milhões de assinaturas até 2025", disse Thompson. “Esperamos que o segundo semestre de 2019 seja um pouco mais desafiador para a publicidade digital do que o primeiro semestre”, projetou.

Leia mais em:

https://investors.nytco.com/press/press-releases/press-release-details/2019/The-New-York-Times-Company-Reports-2019-Second-Quarter-Results/default.aspx

https://www.pressgazette.co.uk/guardian-media-group-reports-31m-pre-tax-profit-in-break-even-2018-19-accounts/?utm_medium=email&utm_campaign=2019-08-07&utm_source=Press+Gazette+Daily+new+layout

https://www.theguardian.com/media/2019/aug/07/guardian-broke-even-last-year-parent-company-confirms

https://www.nytimes.com/2019/08/07/business/media/new-york-times-earnings.html

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKCN1UX274-OBRIN