A moeda real no mercado de notícias é a credibilidade, cada vez mais exigida pelos leitores Reprodução/Reuters

A moeda real no mercado de notícias é a credibilidade, cada vez mais exigida pelos leitores

Um das dificuldades encontradas pelos publishers que investem em busca de monetização com base nas assinaturas digitais é a limitação no poder de aquisição da audiência em um ambiente de crescente oferta de conteúdos pagos, não apenas notícias, mas músicas, séries, filmes, entre outros serviços e produtos. As empresas jornalísticas, entretanto, contam com uma vantagem sobre os seus concorrentes que, no entendimento de François Nel, diretor do Journalism Leaders Programme, da University of Central Lancashire, permite um olhar otimista para o futuro: a credibilidade.

Essa credibilidade, afirma o especialista, passa por um conjunto de características e de comportamento das pessoas no atual estágio da era digital: a confiança é mais valiosa do que nunca; a notícia é um dos poucos comércios cuja moeda real é a credibilidade; e, neste momento, os leitores redescobrindo que vale a pena pagar por informação de qualidade.

“A lei da oferta e da procura (demanda) ainda se aplica”, diz Nel em entrevista ao site da World Association of News Publishers (WAN-IFRA). “Os consumidores de notícias estão cada vez mais reconhecendo que, embora a informação seja abundante em um mundo cada vez mais conectado digitalmente, informações independentes baseadas em fatos que podem ser confiáveis são escassas”.

Não são apenas os leitores que estão percebendo o crescente valor do jornalismo de qualidade, segundo Nel. As perspectivas também estão mudando entre os publishers, que têm demonstrando um crescente comprometimento em fornecer conteúdo exclusivo e de qualidade pelo qual vale a pena pagar. "Estamos vendo isso mesmo no país mais caro do mundo para dados móveis, o Zimbábue, onde as assinaturas via celular do Daily News e do Financial Gazette estão em curva crescente", afirma Nel

Mesmo nas regiões em que há baixos níveis de confiança na mídia, sustenta o especialista, isso representa uma oportunidade para os publishers ganharem credibilidade. “Os inovadores provedores de notícias que estão atendendo seus clientes com notícias relevantes, oportunas e confiáveis em formatos que funcionam estão prosperando, em um contexto tão variado quanto a Birmânia e a Bélgica”.

Leia mais em:

https://blog.wan-ifra.org/2019/07/18/rising-reader-revenues-reinforce-need-for-trusted-quality-content