Imprimir esta página
Donna, marca feminina de Zero Hora (RS), supera receita e metas de audiência Reprodução

Donna, marca feminina de Zero Hora (RS), supera receita e metas de audiência

Criado em 1993 inicialmente como uma seção, o caderno semanal voltado para a audiência feminina do jornal gaúcho Zero Hora (Grupo RBS), Donna, foi pioneiro ao se antecipar a três dos principais conceitos da era digital que se avizinhava: conteúdo, comunidade e comércio. Em 2016, a revista consolidou essa prática e, a partir de diferenciadas ações de branded content, forte identificação com o público, eventos e iniciativas em múltiplas plataformas, elevou receitas e audiência.

No ano passado, contou o gerente de produtos do Grupo RBS, Fellipe Faria, em artigo no site da International News Media Association (INMA), foram mais de 53 números da revista, 10 especiais, 9 guias, 30 eventos e mais de 50 parcerias para novas frentes em business-to-business. Isso tudo, afirmou Faria, resultou em crescimento financeiro e consolidação da marca Donna.

O lucro da revista com anúncios impressos, por exemplo, foi de  R$ 4,8 milhões no ano passado. O lançamento de novos formatos publicitários chamou a atenção do mercado, e a receita de conteúdo de marca foi superior a R$ 346 mil em 2016. A estratégia, acompanhada de uma nova política comercial específica para publicidade na revista, alavancou também novas oportunidades de monetarização digital, que já representava aproximadamente 20% de todas as receitas da plataforma Donna.

“Tivemos uma audiência mensal média de mais de 2 milhões de pageviews e 1 milhão de usuários únicos, com receita de mais de R$ 200 mil em publicidade digital em 2016”, comemorou Faria. A implementação de mídia programática na plataforma, continuou o executivo, também impulsionou os resultados. Além disso, destacaram-se os eventos de marca, que atingiram R$ 324 mil em receita de patrocinadores em 2016, além de bilheteria paga no total de R$ 67 mil.

Leia aqui o artigo na íntegra.

Itens relacionados (por marcador)