Entidades e organizações de notícias dos EUA lançam campanha em defesa da liberdade de imprensa

Entidades e organizações de notícias dos EUA lançam campanha em defesa da liberdade de imprensa

O jornalismo profissional jamais foi tão importante quanto neste momento em que a desinformação é catalisada nas mídias interativas e a polarização política ganha força em diferentes países do mundo. Ao mesmo tempo, a atividade jornalística enfrenta violentos ataques, inclusive em países de tradição democrática, como é o caso dos Estados Unidos. Lá, neste fim de 2019, entidades de defesa à liberdade de imprensa, organizações de notícias e empresas de tecnologia formaram uma coalizão e lançaram uma campanha publicitária de abrangência nacional que enfatiza o papel fundamental do jornalismo para a democracia, em um esforço para tentar reverter a indiferença da maior parte da população norte-americana em relação ao problema.

Em 2018, segundo o U.S. Press Freedom Tracker, houve 35 ataques físicos contra jornalistas, incluindo o assassinato de cinco integrantes da redação do diário Capital Gazette, de Annapolis, em Maryland. Neste ano, a Casa Branca negou a pelo menos 28 jornalistas o acesso a eventos do governo que tradicionalmente têm a cobertura da imprensa. Os organizadores da campanha ressaltam que toda essa animosidade incentiva ações cada vez mais violentas contras os jornalistas.

Apesar disso, a maior parte da população dos Estados Unidos ainda não percebeu a gravidade do problema. Pesquisa do Comitê de Repórteres para a Liberdade de Imprensa (RCFP, na sigla em inglês) e do Democracy Fund, por exemplo, mostra que 52% dos norte-americanos não acreditam que as organizações de notícias e os jornalistas estejam em risco. Outro levantamento, do Pew Research Center, indica que 71% entendem que seus meios de comunicação locais estão indo bem financeiramente (leia mais aqui). 

A campanha, Protect Press Freedom (#ProtectPressFreedom), tem por objetivo mobilizar o público para uma ativa defesa dos direitos de informar e de ser informado livremente. Conta com um site, vídeos, áudios, peças gráficas e textos, todos com divulgação em publicações jornalísticas (impressas e digitais), emissoras de rádio e redes sociais. A iniciativa tem liderança do RCFP e do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ, em inglês).

Leia mais em:

https://www.rcfp.org/rcfp-cpj-protect-press-freedom-campaign/

https://www.sipiapa.org/notas/1213624-en-estados-unidos-campana-nacional-proteger-la-libertad-prensa