Organizações mundiais de imprensa exigem das autoridades do México fim da violência a jornalistas no país

A Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA) e o Fórum Mundial de Editores (WEF) solicitaram nesta terça-feira (2) uma reunião com o presidente do México, Enrique Peña Nieto, e outras autoridades mexicanas para discutir a grave crise de insegurança e a impunidade que ameaça a vida e o trabalho dos jornalistas no país. Em carta enviada ao mandatário mexicano, as duas entidades lembraram que, em menos de dois meses, quatro jornalistas foram assassinados no México: Maximino Rodríguez, Miroslava Breach, Ricardo Monlui e Cecilio Pineda. O México é atualmente, de acordo com as duas entidades, o país sem conflito armado mais perigoso para se exercer o jornalismo em todo o mundo.

Assinada pelo presidente e pelo vice-presidente da WAN-IFRA, Tomas Brunegård e Michael Golden, respectivamente, e pelo presidente do WEF, Marcelo Rech (também presidente da Associação Nacional de Jornais, ANJ), a carta afirma que “metade das agressões a jornalistas são instrumentadas por agentes públicos do Estado mexicano” e pede ao governo reforço dos mecanismos de proteção a comunicadores e defensores dos direitos humanos, uma vez que o sistema atual não tem a capacidade de deter esses crimes e não é suficiente para garantir a liberdade de imprensa.

Leia mais em:

http://www.wan-ifra.org/es/articles/2017/05/02/prensa-internacional-exige-a-las-autoridades-mexicanas-a-atender-la-crisis-de-se