SIP alerta para elevado número de assassinatos de jornalistas nas Américas: 14 em seis meses Sociedad Interamericana de Prensa

SIP alerta para elevado número de assassinatos de jornalistas nas Américas: 14 em seis meses

Preocupada com a violência contra a liberdade de imprensa nas Américas, incluindo o recrudescimento da situação em vários países, a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) alertou, em sua reunião de meio ano, que esse cenário resulta em mais assassinatos de jornalistas e, também, na impunidade. Nos últimos seis meses, segundo a entidade, 14 jornalistas morreram no exercício da profissão na região – dois deles no Brasil: o radialista Jefferson Pureza Lopes, da Rádio Beira Rio, de Goiás, e Ueliton Bayer Brizon, em Rondônia. Quatro profissionais foram mortos no México, três no Equador, dois na Guatemala e um em Honduras, Colômbia e El Salvador. Há ainda um comunicador desaparecido no Haiti. A SIP produziu um vídeo em tributo aos jornalistas assassinados.

 


Mídia