Mais de vinte organizações dos Estados Unidos lançaram nesta quarta-feira (2) um portal na web dedicado a documentar violações à liberdade de imprensa no país. A nova página, US Freedom Freedom Tracker, é coordenada pelo Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) e pela Freedom of the Press Foundation. Centraliza dados sobre o número de ataques e intimidações a jornalistas e, neste ano, registra 19 prisões e 11 agressões a jornalistas. Outros 12 profissionais tiveram seus equipamentos confiscados, enquanto 4 foram detidos pelas autoridades fronteiriças. O site compila dados com base em notícias e informações de jornalistas, organizações e instituições dedicadas à defesa da liberdade de imprensa.

Leia mais em neste link.

Publicado em Jornal ANJ Online

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou as novas ameaças do presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, contra os meios de comunicação logo após a eleição da Assembleia Nacional Constituinte, no último domingo (30). A entidade expressou preocupação com a possibilidade de que, no processo de reforma constitucional, as liberdades de expressão e de imprensa sofram ainda mais restrições no país.

Publicado em Jornal ANJ Online

Assassinado na madrugada do último domingo (30), na localidade de Playas de Rosarito (no estado da Baixa Califórnia), o jornalista Luciano Rivera é o nono jornalista morto no México em 2017. Em comunicado, a Procuradoria-Geral da Justiça do Estado mexicano informou que o comunicador estava no interior de um bar quando foi abordado por cinco homens e, em seguida, alvejado por um tiro na cabeça. Rivera era repórter e apresentador na CNR TV e dirigia a edição impressa e digital da revista Dictamen. As autoridades não confirmaram se o crime está relacionado ao trabalho do jornalista.

Publicado em Jornal ANJ Online

Jornalistas do México exigiram nesta terça-feira (18) que o governo do presidente Enrique Peña Nieto investigue o ex-governador do estado de Veracruz, Javier Duarte, pelo assassinato de 18 profissionais de comunicação e pelo desaparecimento de mais três durante a sua gestão. Duarte foi extraditado nesta semana da Guatemala, após ser preso em 15 de abril, depois de fugir do México em outubro, acusado de crime organizado e operações com recursos ilícitos.

Esses crimes “não podem ficar impunes”, disse em comunicado a Red Veracruzana de Periodistas. Para a entidade, o ex-governador e “assim como os seus colaboradores mais próximos […], tiveram um alto grau de responsabilidade” nestes crimes, “tanto por ação como por omissão”. A nota afirma ainda que “nenhum dos delitos contra jornalistas veracruzanos foram esclarecidos e, enquanto Duarte foi governador (2010-2016), a procuradoria de Veracruz criminalizou as vítimas e nunca houve interesse em prender e castigar os autores intelectuais e materiais [dos crimes]”.

Desde 2000, mais de 100 jornalistas foram assassinados no México, 11 deles em 2016, um número recorde. A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) considera Veracruz uma das regiões mais perigosas do mundo para o exercício jornalístico. Em  2017, o México registra até o momento sete assassinatos de jornalistas.

Leia mais em:

http://www.telesurtv.net/news/Exigen-investigar-a-Duarte-por-muerte-de-periodistas-en-Mexico-20170718-0037.html

http://www.sinembargo.mx/18-07-2017/3265216

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) aproveitou a visita do presidente do México, Enrique Peña Nieto, a Paris, na França, para denunciar que o país latino-americano se converteu no “mais mortífero do mundo para os jornalistas”, com pelo menos sete assassinados até o momento neste ano. Em carta dirigida ao mandatário mexicano e divulgada nesta quinta-feira (6) o secretário geral da RSF, Christophe Deloire, destacou que o México, atualmente, “se coloca à frente da Síria, país oficialmente em guerra” no ranking de assassinatos de profissionais de comunicação.

Publicado em Jornal ANJ Online
Página 1 de 2