Quase 5 milhões de notícias falsas foram compartilhadas durante o terceiro trimestre no Brasil, um pouco antes da eleição Reprodução

Quase 5 milhões de notícias falsas foram compartilhadas durante o terceiro trimestre no Brasil, um pouco antes da eleição

No terceiro trimestre de 2018, entre julho e setembro, muito próximo das eleições de outubro deste ano, o Relatório da Segurança Digital no Brasil, produzido pelo dfndr lab – especializado em cibersegurança –, detectou 4,8 milhões de notícias falsas espalhadas na internet no país, em especial nas redes sociais e aplicativos de mensagens. O número representa um aumento 43,2% na comparação com o mesmo período de 2017 (3,35 milhões de conteúdos falsos). O total de detecções de links maliciosos no trimestre foi de 43,8 milhões e a participação das fake news mais que dobrou, se comparada com igual período do ano passado (5,1%), chegando a 11% de todas as detecções.

As notícias falsas, em sua maioria (46,3%), conforme relatou o site Tecmundo, tinham a “política” como tema. Apenas sobre o assunto, foram mais de 2,2 milhões de detecções. “A cada trimestre, o número e a sofisticação das fake news crescem consideravelmente. As eleições foram o principal gancho desses três meses, mas qualquer tema que gere grande volume de cliques para ganho com publicidade ou que possa influenciar a opinião pública são utilizados como chamariz”, comentou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, ao site especializado em tecnologia.

A principal questão, ressaltou Simoni, é que notícias falsas são um risco real à segurança das pessoas. “Considere, por exemplo, o dano que as fake news sobre medicamentos ou vacinas podem causar à população. Por isso, é necessário e urgente intensificarmos a discussão sobre o tema e a conscientização sobre como se proteger”. O laboratório especializado em cibersegurança deixa claro: o teor alarmante ou que gere indignação e o fato de solicitar compartilhamento são os principais motivos pelos quais o conteúdo se espalha rapidamente por meio de amigos, familiares e conhecidos.

Leia mais em:

https://www.tecmundo.com.br/seguranca/136224-cinco-milhoes-fake-news-compartilhadas-ultimos-tres-meses.htm