Vereador suspeito de ser mandante de assassinato de radialista no Pará está foragido Reprodução

Vereador suspeito de ser mandante de assassinato de radialista no Pará está foragido

O vereador Cesar Monteiro (PR), da cidade de Bragança, no Pará, é suspeito de ter contratado um grupo para matar o radialista Jairo de Sousa, assassinado na madrugada de 21 de junho deste ano no mesmo município paraense, segundo informou a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Até agora, disse a entidade, a polícia prendeu sete pessoas e outras duas estão foragidas, entre elas o vereador. Monteiro, conforme apurou a Abraji, está em Belém desde o último domingo (18) planejando com advogados sua apresentação na delegacia. As investigações apontam para a motivação do crime como uma forma de impedir as denúncias diárias apresentadas no programa de Sousa contra a administração pública daquela cidade e de outros municípios vizinhos.

O grupo suspeito de assassinar o radialista de Bragança é investigado por atuar no interior do Pará com pistolagem, morte por encomenda. As investigações indicam que o vereador teria negociado o assassinato de Jairo com José Roberto Costa de Sousa, 48 anos, conhecido como Calar, apontado como chefe do grupo e preso na semana de 12.nov.2018, na cidade de Castanhal, a 138 quilômetros de Bragança. Em 15.nov.2018, os policiais localizaram Dione Sousa Almeida, 29 anos, acusado de atirar no radialista, em uma casa na cidade de Cachoeira de Piriá, a 132 quilômetros de Bragança e a 180 quilômetros de Castanhal.

A morte de Jairo é o segundo caso investigado pela equipe da dentro do Programa Tim Lopes. O primeiro foi o de Jefferson Pureza, 39 anos, em Edealina, no interior de Goiás, executado com três tiros na cabeça enquanto descansava na varanda de sua casa, em 17 de janeiro de 2018. Seis pessoas estão detidas. O programa foi desenvolvido pela Abraji para combater a violência contra jornalistas e a impunidade dos responsáveis. Em caso de crimes ligados ao exercício da profissão, uma rede de veículos da mídia tradicional e independente é acionada para acompanhar as investigações e publicar reportagens sobre as denúncias em que o jornalista trabalhava até ser morto. Integram a rede hoje: Agência Pública, Correio* (BA), O Globo, Poder360, Ponte Jornalismo, Projeto Colabora, TV Aratu, TV Globo e Veja.

Em Edealina, o vereador José Eduardo Alves da Silva (PR), acusado de ser o mandante, e outros dois homens que participaram da negociação do crime, aguardam julgamento. Três menores cumprem medidas socioeducativas: um atirou, o outro pilotou a moto e o terceiro recrutou os demais para a realização do crime, que custou R$ 5 mil mais um revólver 38.

Leia mais em:

http://abraji.org.br/noticias/vereador-e-suspeito-de-ser-mandante-da-morte-de-jairo-de-sousa