Detalhe do post que anunciava a venda de uma jovem de 16 anos no Sudão do Sul Detalhe do post que anunciava a venda de uma jovem de 16 anos no Sudão do Sul Reprodução

Facebook demora para agir e permite leilão de uma adolescente na rede social

Mergulhado em escândalos e sempre despejando mil promessas de que resolverá seus problemas que, na visão de especialistas, têm minado as democracias, o Facebook consegue surpreender de forma negativa quase todas as semanas. Há alguns dias, a revista Vice revelou uma história aterradora: uma menina de 16 anos foi leiloada no Sudão do Sul, na África, após sua família prometer, por meio da rede social de Mark Zuckerberg, que ela se casaria com o homem que oferecesse o maior valor. 

A postagem sobre o leilão foi feita em 25 de outubro, e o Facebook disse que ficou sabendo dele em 9 de novembro. Retirou o conteúdo do ar, mas já era tarde. A menina havia se casado três dias antes. O empresário milionário que venceu o lance, Kok Alat, ofereceu 530 vacas, três carros Land Cruiser V8 e US$ 10 mil pelo direito de se casar a adolescente. A aposta superou a de outros quatro homens, incluindo um oficial do governo sul-sudanês.

O casamento infantil é uma prática ilegal no Sudão do Sul, mas ainda é muito disseminado. De acordo com a organização Girls Not Brides, mais da metade das meninas se casam antes dos 18 anos no país. “Esse uso bárbaro da tecnologia é reminiscente dos mercados de escravos do passado”, disse George Otim, diretor da ONG Plan International South Sudan, que luta contra casamentos infantis, em comunicado. “O fato de uma menina poder ser vendida para casamento na maior rede social do mundo nos dias de hoje é inacreditável”.

De acordo com a organização, esse é o primeiro incidente de que se tem notícia de uso do Facebook para anunciar um leilão como este, mas os ativistas temem que o preço fechado incentive outras famílias a fazerem o mesmo, caso o Facebook não assuma uma postura mais agressiva quanto a isso.

"Qualquer forma de tráfico humano – seja por posts, páginas, anúncios ou grupos – não é permitida no Facebook", disse a rede social em nota. "Removemos o post e desativamos permanentemente a conta da pessoa que postou isso no Facebook. Estamos sempre aprimorando os métodos que usamos para identificar conteúdo que viola nossas políticas, incluindo o aumento da nossa equipe de segurança para mais de 30 mil [pessoas]."

Leia mais em:

https://news.vice.com/en_us/article/8xpqy3/a-teenage-girl-in-south-sudan-was-auctioned-off-on-facebook

https://olhardigital.com.br/noticia/facebook-foi-usado-para-leiloar-uma-adolescente-em-sudao-do-sul/80027

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/11/facebook-nao-consegue-impedir-que-menina-seja-leiloada-na-rede-social.html