Índice de liberdade de expressão no mundo é o mais baixo dos últimos dez anos e Brasil apresenta um dos mais fortes declínios, diz ONG Reprodução/Artigo19

Índice de liberdade de expressão no mundo é o mais baixo dos últimos dez anos e Brasil apresenta um dos mais fortes declínios, diz ONG

Em um momento em que o nível de liberdade de expressão é o mais baixo na última década em todo o mundo, o Brasil está entre os países em que as garantias desse direito mais decaíram, principalmente de 2015 a 2017, diz o relatório Agenda de Expressão (Expression Agenda ou XPA), da organização não governamental Artigo 19, divulgado nesta quarta-feira (5). A organização considera especialmente alarmantes os números de ataques a jornalistas não apenas no país, mas em nível global.

O acompanhamento feito pela organização mostra que, em 2017, 78 jornalistas foram mortos no mundo, relata o jornal Folha de S.Paulo, além do assassinato de 312 defensores dos direitos humanos. A Artigo 19 contabiliza ainda 326 detenções (194 sob a acusação de terem enfrentado o Estado) de comunicadores no ano passado. Além disso, afirma a organização, 90% das agressões físicas contra jornalistas ficaram impunes.

Em relação ao Brasil, a Artigo 19 compilou 22 assassinatos de blogueiros, radialistas e comunicadores no interior do Brasil, entre 2012 e 2016. O país, segundo a entidade, registrou uma decadência mais acentuada na liberdade de expressão em ambientes online ou no espaço público comum, como em protestos ou manifestações.

O relatório da organização, informa a Folha de S.Paulo, também menciona o cerceamento da imprensa através de armadilhas jurídicas. O assédio judicial, afirma o estudo, inviabiliza principalmente a existência de jornalismo no interior do país. Isto ocorre porque blogueiros, radialistas e comunicadores de pequenos veículos locais temem ter suas atividades interrompidas por processos, que podem miná-los economicamente. O resultado são os chamados desertos de notícia, afirma o jornal paulista.

Viés autoritário

O fenômeno da queda de liberdade de expressão e de imprensa é global – no segundo caso, houve recuo nos índices de 48 países entre 2014 e 2017 – e não tem poupado nem regiões que tradicionalmente têm esses direitos muito protegidos, como os Estados Unidos. “Há uma ascensão muito clara ao poder de homens com um viés autoritário; Donald Trump [presidente norte-americano] tem funcionado como uma figura na qual muitos governantes se inspiram. É um movimento político que pode se tornar mais presente nas democracias do mundo”, diz Thomas Hughes, diretor executivo da Artigo 19.

Leia mais em:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/12/brasil-registra-declinio-em-indice-de-liberdade-de-expressao.shtml

https://www.politico.eu/blogs/on-media/2018/12/media-freedom-hits-10-year-low-report/