Jornalistas denunciam violência policial deliberada contra profissionais de mídia durante protestos na França Reprodução

Jornalistas denunciam violência policial deliberada contra profissionais de mídia durante protestos na França

Jornalistas que cobriram os protestos dos últimos dias em Paris, na França, relataram terem sido alvo de violência policial excessiva. Em alguns casos, há indícios de ataques deliberados. Diante das denúncias, a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) e o sindicato de jornalistas do Reino Unido pediram imediata investigação por parte das autoridades francesas, informou o site Press Gazette.

A polícia da França fez uso de balas de borracha, canhões de água e gás lacrimogêneo, entre outros armamentos não letais, na tentativa de dispersar os manifestantes nos protestos registrados nos últimos finais de semana. Alguns jornalistas, informou a RSF, relataram terem sido alvejados por disparos à curta distância. A polícia confiscou, segundo a organização, equipamentos de proteção, incluindo capacetes, óculos protetores, máscaras de gás e outros aparelhos profissionais de jornalistas. Repórteres foram informados de que seriam presos se não entregassem os equipamentos, segundo a RSF.

A filial do sindicado de jornalistas britânicos em Paris enviou uma carta ao Ministério do Interior da França sobre o caso envolvendo o fotojornalista Nigel Dickinson, atingido por um projétil da polícia, apesar de o profissional estar “facilmente identificado" como fotógrafo de imprensa. “Estamos profundamente preocupados com o fato de que um número significativo de jornalistas e outros profissionais de mídia parece ter sido deliberadamente alvejado durante os protestos”, diz a carta da entidade.

Dickinson afirma que estava usando um capacete branco, óculos de proteção e uma máscara azul no momento em que foi atingido, no fim de semana passado. “Durante todo o dia, muitos profissionais de jornais e de TV foram atingidos por projéteis da polícia, principalmente no estômago ou no abdômen”, relatou o fotojornalista. Repórter do Le Parisien, Yann Foreix também disse ter sido atingido por um projétil não letal. "Pedimos às autoridades que esclareçam essa violência, devolvam os equipamentos profissionais, incluindo os de proteção, e garantam que não haverá mais confisco no futuro", disse o secretário-geral da RSF, Christophe Deloire.

Leia mais em:

https://www.pressgazette.co.uk/journalist-groups-push-for-investigation-into-french-police-targeting-of-press/?utm_medium=email&utm_campaign=2018-12-13&utm_source=Press+Gazette+Daily+new+layout

https://rsf.org/en/news/police-violence-against-reporters-during-yellow-vest-protests-paris