Jornal local reage bem à crítica de Stephen King em rede social, ganha apoio do escritor e conquista assinantes digitais AFP/O Estado de S.Paulo

Jornal local reage bem à crítica de Stephen King em rede social, ganha apoio do escritor e conquista assinantes digitais

A reação do renomado escritor Stephen King à decisão do The Portland Press Herald, principal diário do estado norte-americano Maine, de deixar de publicar resenhas de livros regionais revela que há caminhos para manter, e até fortalecer, os jornais locais. Curiosamente, neste caso, essa trilha passa pelas redes sociais, cujo domínio (do duopólio Google e Facebook) na publicidade digital afeta de forma drástica as receitas das empresas jornalísticas, em especial as locais.

Diante da medida do jornal, o mestre de livros de terror, que vive em Maine, resolveu protestar no Twitter, onde tem mais 5 milhões de seguidores. O jornal não se intimidou com a crítica. Pelo contrário. Viu ali uma oportunidade para conquistar assinantes digitais – até aquele momento, 10 mil – e minimizar a crise financeira que enfrenta.

Na sua primeira postagem, há duas semanas, King disse que o jornal estava acabando com a divulgação da qual os escritores locais dependem "para poder comprar leite e pão". Na postagem, o escritor frisou: "Reproduza este tuíte se você é do estado (ou mesmo que não seja). Diga ao jornal para NÃO FAZER ISSO."

Rapidamente, também no Twitter, o jornal rebateu com um desafio ao escritor ao lado de uma promoção de preços (US$ 15 por 12 semanas), com o objetivo de engajar leitores e transformá-los em assinantes. “São tempos difíceis para os jornais. Mas aqui está uma oferta: se você conseguir que 100 de seus seguidores comprem assinaturas digitais para o @PressHerald, restituiremos as resenhas de livros locais imediatamente. Use o código promocional KING. Combinado?”

As assinaturas começaram a chegar ao jornal quase que imediatamente. O escritor, então, replicou em tom meio crítico, mas aceitou o desafio e incentivou seus seguidores. "Apresentação de vendas? Chantagem? Seja como for, 71 pessoas assinaram o jornal até agora. Será que há mais 29 tuiteiros aí fora dispostos a pagar? Estou só perguntando", escreveu. No dia 13, o The Press Herald havia conseguido o dobro de sua meta, com 200 assinaturas novas em menos de 48 horas.

O jornal se comprometeu a continuar a publicar as resenhas de livros sobre o Maine ou de autores do estado. Na segunda-feira (14), King postou no Twitter: "Obrigado a todos que assinaram o Press Herald", escreveu. "Salvaram o dia. Existem países onde as artes são consideradas vitais. Infelizmente, este não é um deles", declarou.

“Quando temos alguém como Stephen King se envolvendo conosco, com mais de cinco milhões de seguidores no Twitter, sabemos que terá impacto, e nos questionamos como poderíamos usar a sua influência para apoiar o jornalismo local", disse Cliff Schechtman, editor do jornal. "As pressões financeiras não se reduziram até agora, o setor vive mudanças consideráveis, mas neste caso tivemos um final feliz", disse

O The Press Herald, assim outros tantos jornais locais nos Estados Unidos estão em crise financeira e promovendo cortes. De acordo com o Pew Research Center, o número de jornalistas que trabalham para jornais em todo o país caiu quase 50% entre 2008 e 2017. De acordo com o Pew Research Center, o número de jornalistas que trabalham para jornais em todo o país caiu quase 50% entre 2008 e 2017.

Leia mais em:

https://www.cjr.org/united_states_project/stephen-king-portland-press-herald.php?utm_source=Pew+Research+Center&utm_campaign=a4b7ec81fe-EMAIL_CAMPAIGN_2019_01_18_02_29&utm_medium=email&utm_term=0_3e953b9b70-a4b7ec81fe-399348773

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/01/stephen-king-se-queixa-de-fim-de-resenhas-literarias-e-jornal-pede-ajuda.shtml

https://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,stephen-king-salva-secao-literaria-de-jornal-local-dos-eua,70002680115
Hélio Gama Neto