Imprimir esta página
Jornalismo deve trabalhar mais e melhor para refletir a situação da sociedade e, com isso, gerar confiança, diz presidente da WAN-IFRA Reprodução

Jornalismo deve trabalhar mais e melhor para refletir a situação da sociedade e, com isso, gerar confiança, diz presidente da WAN-IFRA

A intolerância à mídia cresceu de forma preocupante em 2018, fixando raízes mesmo em democracias antes aparentemente estáveis. Reverter esse quadro é urgente, e passa necessariamente por jornalistas e empresas de comunicação investirem ainda mais na qualidade de seus trabalhos, diz o presidente Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA) Michael Golden, em entrevista publicada pelo site da entidade.

Há, de acordo com a entidade, cada vez mais assassinatos, agressões e ameaças (físicas e virtuais), prisões, censuras de todos os tipos e campanhas de ódio. A retórica contra a imprensa se firmou como um fenômeno mundial, impulsionada pela verborragia violenta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A expectativa é que 2019 não será diferente, e o sentimento anti-mídia do movimento dos “coletes amarelos” na França é um sinal de que as coisas podem até podem piorar. Jornalistas foram assediados, agredidos verbalmente e fisicamente por manifestantes, e apenas um terço da população condenou a violência, segundo pesquisas.

Para contra-atacar, Golden, que atua The New York Times Company Regional Media Group, defende um envolvimento de toda indústria jornalística em uma série medidas a serem tomadas, mas enfatiza a importância de qualificar ainda mais o jornalismo.

“Os jornalistas e a imprensa devem trabalhar mais para refletir a experiência, os medos e as esperanças da sociedade. Enquanto as economias estão crescendo, o benefício não é compartilhado uniformemente. Jornalistas devem fazer um trabalho melhor refletindo a situação de todos os níveis da sociedade. Muitos estão trabalhando para fazer isso. Todos podemos melhorar”, diz.

O presidente da WAN-IFRA salientou que, dentro de uma grande frente de reação, a segurança dos jornalistas é de suma importância. “Toda a imprensa deve informar sobre os países onde a segurança do jornalista é mais ameaçada. O papel da imprensa em responsabilizar os políticos, os tribunais e as forças policiais é mais importante do que nunca”, alerta.

Golden ressalta que a situação enfrentada pela imprensa está dentro de uma crise social em quase todo o mundo. Em muitos países, incluindo a França e os Estados Unidos, afirma, grande parte da sociedade viu sua qualidade de vida se deteriorar nas últimas décadas. O poder de compra tem sido plano ou declinante. “As pessoas estão trabalhando em dois empregos porque precisam. Esta situação criou frustração e raiva”.

Ao mesmo tempo, destaca Golden, houve um aumento da concentração de riqueza na mão de cerca de 5% da sociedade. “Essa é uma situação perigosa. A confiança diminuiu em muitas instituições, incluindo o jornalismo e a imprensa”, diz. “Cada vez mais os políticos acham útil criticar a imprensa e alimentar ainda mais a falta de confiança. É uma situação que ameaça a tomada de decisões informada pelos cidadãos”.

Leia mais em:

https://blog.wan-ifra.org/2019/02/01/wan-ifra-president-michael-golden-journalists-must-work-harder-to-reflect-society