Imprimir esta página
Receitas digitais do NYT crescem além do esperado e jornal fixa meta de 10 milhões de assinantes até 2025 Reprodução

Receitas digitais do NYT crescem além do esperado e jornal fixa meta de 10 milhões de assinantes até 2025

A The New York Times Company, empresa que edita o jornal homônimo, informou nesta quarta-feira (06) ter superado, em apenas três anos, as expectativas iniciais de crescimento no meio online e, com isso, estabeleceu um novo objetivo, o de ultrapassar a marca de 10 milhões de assinaturas até 2025. A companhia também anunciou outro marco: os anúncios digitais superaram pela primeira vez a publicidade impressa, saltando 23%, para US$ 103 milhões, no quarto trimestre. No mesmo período a publicidade na edição em papel caiu 10%, para US$ 88 milhões.

Os resultados digitais do The New York Times impressionam, principalmente em um momento no qual a indústria jornalística dos Estados Unidos enfrenta dificuldades. No quarto trimestre de 2018, o jornal obteve 265 mil novas assinaturas digitais, o maior aumento desde os meses imediatamente após a eleição de 2016, encerrando o ano com 4,3 milhões de assinaturas (das quais 3,4 milhões são digitais). A receita digital total no ano passado foi de US$ 709 milhões, cerca de três quartos da meta inicial de dobrar o faturamento online para US$ 800 milhões até 2020.

O número de assinantes digitais, incluindo notícias, palavras cruzadas e aplicativos de culinária e gastronomia, registrado pelo The New York Times no fim do ano passado é 27% maior do que o verificado em 2017. A receita de assinaturas online aumentou quase 18%, atingindo US$ 400 milhões em 2018. O faturamento com publicidade digital também cresceu (8,6%), chegando a US$ 259 milhões.

Em 2018, a arrecadação total do The New York Times foi de US$ 1,748 bilhão. "Isso significa que a receita digital representou pouco mais de 40% do total. Dadas as linhas de tendência impressas e digitais, não demorará muito até atingir o ponto de inflexão de 50% -- eu diria que no segundo trimestre de 2020", avalia Joshua Benton, diretor do Nieman Journalism Lab. O jornalista lembra que, há alguns anos, é um objetivo comum entre os jornais ganhar dinheiro suficiente em digital para cobrir o custo da redação. "Bem, neste momento, o Times poderia pagar pela redação duas vezes com apenas dinheiro digital".

Investimento em jornalismo

O jornal não tem poupado esforços para elevar seus resultados. As despesas de marketing aumentaram para US$ 48,6 milhões no quarto trimestre de 2018, cerca de 50% a mais em relação ao ano passado.

Os ganhos de receita, segundo o The New York Times, permitirão que a empresa gaste mais em suas operações de redação, que no ano passado contratou 120 pessoas, elevando o número total de jornalistas do diário para 1,6 mil, a maior contagem de sua história.

"Nosso apelo aos assinantes – e aos principais anunciantes do mundo – depende mais do que tudo da qualidade de nosso jornalismo", disse Mark Thompson, presidente e CEO da empresa, em comunicado. “É por isso que aumentamos, em vez de reduzir, nosso investimento em nossos departamentos de redação e opinião. Queremos acelerar ainda mais nosso crescimento digital, então, em 2019, direcionaremos novos investimentos para jornalismo, produtos e marketing.”

Leia mais em:

https://www.nytimes.com/2019/02/06/business/media/new-york-times-earnings-digital-subscriptions.html

https://investors.nytco.com/press/press-releases/press-release-details/2019/The-New-York-Times-Company-Reports-2018-Fourth-Quarter-and-Full-Year-Results-and-Announces-Dividend-Increase/default.aspx

https://www.bloomberg.com/news/articles/2019-02-06/new-york-times-sets-goal-of-10-million-subscribers-by-2025

https://www.reuters.com/article/us-new-york-times-results/new-york-times-beats-estimates-on-digital-subscriber-growth-idUSKCN1PV1MO

http://www.niemanlab.org/2019/02/the-new-york-times-is-getting-close-to-becoming-a-majority-digital-company/