Imprimir esta página
Violência contra a imprensa é "ultrajante" e tem de ser combatida pela comunidade internacional, diz secretário-geral da ONU Reprodução

Violência contra a imprensa é "ultrajante" e tem de ser combatida pela comunidade internacional, diz secretário-geral da ONU

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, fez nesta segunda-feira (25) um apelo para que os governos e a comunidade internacional “não fiquem em silêncio” e protejam os jornalistas e lutem contra a desinformação em uma época na qual os ataques à imprensa se tornaram “o novo normal”, não apenas em países autoritários, mas também nas democracias.

Guterres classificou como “ultrajante” e “alarmante” o alto índice de violência contra comunicadores em 2018, bem como da impunidade. “As notícias que são suprimidas - relatórios sobre corrupção, conflitos de interesse, tráfico ilegal e crimes e abusos de todos os tipos – são exatamente as informações que o público precisa sabe”, advertiu ele em discurso por ocasião do 70º aniversário da Associação de Correspondentes da ONU, com sede em Genebra, na Suíça. "Informar não é um crime".

O secretário-geral ressaltou que, embora o mundo tenha "percorrido um longo caminho” para a consolidação da liberdade de expressão" nos últimos 70 anos, "o espaço cívico vem encolhendo em todo o mundo a um ritmo alarmante". Em pouco mais de uma década, lembrou, mais de mil jornalistas foram mortos enquanto realizavam seu trabalho, com nove de dez casos não resolvidos.

Somente no ano passado, destacou Guterres, pelo menos 99 jornalistas foram mortos e outros milhares foram atacados, assediados, detidos ou presos sob acusações falsas, sem direito à defesa. A maioria dos detidos e atacados é composta por jornalistas locais que trabalham em seus próprios países e comunidades.Os profissionais mortos, feridos e detidos cobriam “política, crime, corrupção e direitos humanos e não conflito”, salientou, para quem nenhuma democracia está completa sem a liberdade de imprensa.

“O jornalismo e a mídia são essenciais para a paz, justiça, desenvolvimento sustentável e direitos humanos para todos – e para o trabalho da ONU”, observou, prestando homenagem aos jornalistas que “vão aos lugares mais perigosos do planeta para nos trazer informações importantes, dar voz às pessoas que estão sendo ignoradas e abusadas e responsabilizar os poderosos”.

Ação global contra o discurso de ódio

Ainda na segunda-feira, em discurso na abertura da 40ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, Guterres afirmou que os direitos como um todo estão sob ataque em muitas partes do mundo e que a desigualdade persiste. O secretário-geral da ONU também expressou preocupação com “a contração do espaço civil em cada região do globo” e com o aumento de assédios, ataques e retóricas inflamatórias.

“Discurso de ódio é uma ameaça aos valores democráticos, à estabilidade social e à paz”, disse Guterres. “Ele se espalha como incêndio florestal através das redes sociais, da internet e em teorias da conspiração. Ele é estimulado por discursos públicos que estigmatizam mulheres, minorias, migrantes, refugiados e aqueles que são chamados de ‘outros’”. Para combater esse flagelo, Guterres anunciou a criação de uma estratégia para aumentar resposta da organização a discursos de ódio e apresentar um plano de ação global, comandado por seu assessor especial para a Prevenção de Genocídio, Adama Dieng.

“Precisamos restabelecer a integridade do regime internacional de proteção de refugiados e continuar trabalhando pelos valores comuns e cooperação internacional para reafirmar direitos e ajudar a proteger pessoas de traficantes, contrabandistas e outros predadores”, disse. A sessão atual do Conselho de Direitos Humanos continua até 22 de março.

Leia mais em:

https://news.un.org/en/story/2019/02/1033552

https://nacoesunidas.org/onu-destaca-luta-dos-movimentos-sociais-em-reuniao-do-conselho-de-direitos-humanos/

https://www.pressgazette.co.uk/un-leader-says-governments-cannot-remain-silent-on-press-freedom-attacks-and-calls-for-action-to-protect-journalists/

https://theshiftnews.com/2019/02/26/attacks-against-journalists-outrageous-un-chief/

https://www.unog.ch/unog/website/news_media.nsf/(httpNewsByYear_en)/E955F9CF21E417CDC12583AC006920E4?OpenDocument

https://www.pressgazette.co.uk/un-leader-says-governments-cannot-remain-silent-on-press-freedom-attacks-and-calls-for-action-to-protect-journalists/?utm_medium=email&utm_campaign=2019-02-26&utm_source=Press+Gazette+Daily+new+layout