Matt Murray, editor-chefe do diário: Os repórteres estarão sentados diretamente com membros da equipe de diferentes conjuntos de habilidades Matt Murray, editor-chefe do diário: Os repórteres estarão sentados diretamente com membros da equipe de diferentes conjuntos de habilidades / Reprodução

WSJ anuncia contratações para o desenvolvimento de cinco áreas-chave

O The Wall Street Journal, um dos principais jornais financeiros dos Estados Unidos, anunciou nesta terça-feira (5) a criação de mais de 30 postos de trabalho em suas redações. Em memorando interno, o editor-chefe do diário, Matt Murray, disse que as contratações fortalecerão o papel de cinco áreas-chave, identificadas como Público Jovem, Engajamento de Associados, Inovação de Redação, Dados de Audiência e Pesquisa e Desenvolvimento.

"A lista de novos empregos inclui desenvolvedores, designers, gerentes de produto, especialistas em dados e também, crucialmente, jornalistas", diz o memorando. "Há muitos novos trabalhos de reportagem em todas essas equipes e, além de nossos objetivos, encontrar novas maneiras de trabalhar juntos, os repórteres estarão sentados diretamente com membros da equipe de diferentes conjuntos de habilidades."

As notícias no The Wall Street contrastam com as adversidades do setor em geral, incluindo grandes levas de demissões e enxugamentos organizacionais. Nos últimos meses, BuzzFeed, Vice, HuffPost, McClatchy, Gannett e outros publishers menores promoveram profundos cortes.