Bolsonaro usa desinformação para tentar intimidar a imprensa, lamentam ANJ, ABERT e ANER Reprodução

Bolsonaro usa desinformação para tentar intimidar a imprensa, lamentam ANJ, ABERT e ANER

A Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) e a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) lamentaram nesta segunda-feira (11) que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), tenha reproduzido pelas redes sociais informações deturpadas e deliberadamente distorcidas com o sentido de intimidar a jornalista Constança Rezende, do jornal O Estado de S.Paulo, e a liberdade de expressão.

Em nota conjunta, as associações enfatizaram que os ataques à repórter têm o objetivo de desqualificar o trabalho jornalístico, fundamental para os cidadãos e a própria democracia. ABERT, ANER e ANJ assinalaram ainda que a tentativa de produzir na imprensa a imagem de inimiga ignora o papel do jornalismo independente de acompanhar e fiscalizar os atos das autoridades públicas.

No domingo, valendo-se de informações falsas divulgadas pelo site Terça Livre, que reúne colunistas conservadores e favoráveis ao governo, o Bolsonaro atribuiu falsamente à jornalista Constança a declaração que teria “intenção” de “arruinar (o senador) Flávio Bolsonaro (um dos filhos do presidente, também do PSL) e o governo”. 

No Twitter, o presidente endossou a falsa tese. A farsa do Terça Livre espalhou-se pelas redes sociais por parte dos apoiadores do mandatário brasileiro com o objetivo de desqualificar a imprensa, que investiga as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio.

O diário Estado de S.Paulo relatou que a declaração falsamente atribuída à repórter, que aparece entre aspas no título do texto do Terça Livre, teria sido dita, segundo “denúncia” de um jornalista francês, em uma conversa gravada em que a repórter fala da cobertura jornalística das movimentações suspeitas de Queiroz.  

A gravação do diálogo, porém, mostra que Constança em nenhum momento fala em “intenção” de arruinar o governo ou o presidente. A conversa, em inglês, tem frases truncadas e com pausas. Só trechos selecionados foram divulgados. Em um deles, a repórter avalia que “o caso pode comprometer” e “está arruinando Bolsonaro”, mas não relaciona seu trabalho a nenhuma intenção nesse sentido.

Allan Santos, editor do Terça Livre, informa O Estado de S.Paulo, no entanto, expôs a conversa como evidência de suposta irregularidade. “Bomba!!!!! Jornalista do Estadão confessa: “a intenção é arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”. A frase jamais foi dita. 

Estimulados pelas informações, grupos governistas promoveram no Twitter uma série de postagens nas quais acusaram o Estado de “mentir” na cobertura do caso Flávio Bolsonaro. Às 20h51min, o próprio presidente publicou o seguinte texto no Twitter: “Constança Rezende, do ‘O Estado de SP’ diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do O Globo. Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos.”

A postagem de Bolsonaro foi ilustrada com um vídeo do Terça Livre, que expôs a foto de Constança Rezende e o áudio de um trecho da conversa gravada. A gravação foi divulgada primeiro por um site francês, em um texto de Jawad Rhalib, que se apresenta como jornalista.

Rhalib também expõe a tese de que a gravação seria prova de que a imprensa distorce fatos para comprometer Bolsonaro.  Constança não deu entrevista ao jornalista francês nem dialogou com ele, conta O Estado de S.Paulo. Suas frases foram retiradas de uma conversa que ela teve em 23 de janeiro com uma pessoa que se apresentou como Alex MacAllister, suposto estudante interessado em fazer um estudo comparativo entre Donald Trump e Jair Bolsonaro.

O Terça Livre, com base na “denúncia” de Jawad Rhalib, também falsamente atribuiu à repórter a publicação da primeira reportagem sobre as investigações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) a respeito da movimentação de R$ 1,2 milhão nas contas de Queiroz. O autor da primeira reportagem foi Fabio Serapião, também de O Estado de S.Paulo.

Nesta segunda-feira, o Terça Livre voltou a atacar a jornalista utilizando-se de conteúdo falso. Desta vez, Allan Santos, exibiu em um vídeo postagem de Twitter e a atribuiu a Constança. O perfil exibido, porém, não é da repórter.  “Vamos ver de quem nós estamos falando”, disse Santos, cerca de sete minutos depois do início da transmissão. “Estamos falando dessa jornalista aqui, jornalista que disse que o Brasil virou uma ditadura, que com a morte da Marielle (Franco) isso ficou bem claro.” O perfil, que trazia uma foto de Constança, já foi eliminado do Twitter, por desrespeitar as regras de utilização da plataforma.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), também em nota conjunta, condenaram a atitude do presidente. Em texto no site da Abraji, as entidades afirmam que o presidente Jair Bolsonaro fez um novo ataque público à imprensa, desta vez valendo-se de informações falsas.

“Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão. Quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica”.

Leia mais em:

http://abraji.org.br/noticias/abraji-e-oab-repudiam-ataque-publico-de-bolsonaro-a-imprensa

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,fernanda-salles-que-assina-texto-com-dados-falsos-sobre-reporter-do-estado-trabalha-para-o-psl,70002751019

https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/site-bolsonarista-exibe-tuite-falso-em-novo-ataque-contra-jornalista-do-estado/

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,bolsonaro-usa-declaracao-falsa-para-atacar-imprensa,70002750456

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,bolsonaro-usa-posicao-de-poder-para-tentar-intimidar-imprensa-dizem-oab-e-abraji,70002750770