Imprimir esta página
ANJ lamenta ataque de Bolsonaro ao jornal Folha de S.Paulo e ao jornalismo

ANJ lamenta ataque de Bolsonaro ao jornal Folha de S.Paulo e ao jornalismo

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamentou nesta quinta-feira (28) a declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na qual ele atacou o jornal Folha de S.Paulo, referindo-se ao diário como uma "fonte de todo o mal". Em nota, a entidade também condenou as críticas genéricas ao jornalismo feitas pelo mandatário brasileiro. “Essencial para a democracia, o jornalismo é fonte de informação para os cidadãos, e não um inimigo a ser combatido”, advertiu a associação.

No comunicado, a ANJ assinalou que a imprensa, além de apresentar o relato de fatos e a multiplicidade  de visões, tem por missão acompanhar e fiscalizar os atos dos poderes e das autoridades públicas. Na nota, a entidade destacou também que, ao proferir ataques ao jornalismo, o presidente mais uma vez demonstra “falta de compreensão em relação ao papel da imprensa”.

As declarações do presidente Jair Bolsonaro foram feitas em entrevista ao telejornal Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, na quarta-feira (27), informou a Folha de S.Paulo. Quando questionado pelo apresentador José Luiz Datena sobre elogios feitos por ele ao ditador chileno Augusto Pinochet durante recente visita ao Chile, Bolsonaro respondeu: "Não foi falado em Pinochet, ditadura em nada no Chile. Me aponte um áudio, um vídeo nesse sentido, não teve nada disso. A imprensa, maldosamente, um jornal bota, escreve... Geralmente a Folha de S.Paulo começa com tudo. Toda a fonte do mal é a Folha de S.Paulo".

Ao ser perguntado por Datena se não haveria "uma obsessão" da parte de Bolsonaro pela Folha, o presidente retrucou. "Não, ela que tem por mim. É o contrário. Publica uma mentira dessas, porque não tem isso em lugar nenhum. Tudo o que fizemos lá foi filmado, fotografado, e vai pra esse lado".

Bolsonaro esteve no Chile de 21 e 23 deste mês, onde foi recebido pelo presidente Sebastián Piñera. Em uma entrevista em 2015, o brasileiro, então deputado federal, elogiou o ditador chileno Augusto Pinochet, que ficou no poder de 1973 a 1990, relatou a Folha de S.Paulo.

"Pinochet fez o que tinha que ser feito porque dentro do Chile existiam mais de 30 mil cubanos, então tinha que ser de forma violenta pra reconquistar o seu país", afirmou Bolsonaro na ocasião.

Leia mais em:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/03/bolsonaro-diz-que-folha-e-toda-a-fonte-do-mal-na-imprensa.shtml