Financial Times, do grupo japonês Nikkei, busca ampliar presença na Ásia Reprodução

Financial Times, do grupo japonês Nikkei, busca ampliar presença na Ásia

Adquirido em 2015 da britânica Pearson pelo grupo japonês de mídia Nikkei, o jornal Financial Times tem se destacado nos últimos anos por inciativas inovadoras no segmento do jornalismo de finanças e negócios. Agora, o diário está para fechar a aquisição de pelo menos um terço das ações (ainda que haja interesse pela compra de 51%) de um veículo que se destaca pela forma diferenciada com a qual aborda um tema normalmente árido, com base em narrativas bem próprias do mundo digital, mas com muita qualidade nas informações. Trata-se do Deal Street Asia, site dirigido a investidores internacionais e regionais que informa sobre investimentos, fusões, aquisições e demais movimentações financeiras nos mercados mais importantes de Ásia.

Com presenças em Cingapura, Indonésia, Filipinas, Myanmar, Tailândia, Vietnã, China, Malásia e Índia, por exemplo, o site reúne um poderoso conhecimento gerado pela coleta e análise de dados que podem ser ferramenta de extrema utilidade para quem procura oportunidades mercados asiáticos. O Deal Street Asia oferece, segundo relato do site Laboratorio de Periodismo, um serviço denominado DSA Analytics, pelo menos do qual é possível acessar reportagens investigativas e analíticas produzidas por jornalistas especializados a partir da base de dados do site e de suas fontes.

O Deal Street Asia, conforme o site TechCrunch, foi fundado em 2014 pelo jornalista indiano Joji Thomas Philip e por Sushobhan Mukherjee obteve investimentos e parcerias importantes com empresas como Singapore Press Holdings, Vijay Shekhar Sharma, Singapore Angel Network e Hindustan Times. Os eventos organizados pelo Deal Street Asia são concorridos. O ingresso para seu principal encontro, em Cingapura, no mês de setembro, custa quase mil euros e conta com a presença de executivos de alto nível de empresas como DBS, Grab, Sea, GGV, Allianz e IFC.

O site trabalha com paywall freemium, ou seja, mantém algumas informações abertas para o público em geral, mas garante exclusividade de suas principais informações a seus assinantes. A assinatura para três meses de acesso custa US$ 89.

Leia mais em:

https://www.laboratoriodeperiodismo.org/deal-street-asia/