Vice-presidente para assuntos globais do Google, Kent Walker, durante o evento Google For Brasil, em São Paulo Vice-presidente para assuntos globais do Google, Kent Walker, durante o evento Google For Brasil, em São Paulo / Divulgação

Google e ANJ firmam parceria dentro de projeto de incentivo da gigante digital ao jornalismo no Brasil

A Google News Initiative (GNI), do Google, anunciou nesta quinta-feira (6) uma parceria com a Associação Nacional dos Jornais (ANJ) para a realização de webinários e conteúdos que têm por objetivo melhorar o fluxo de trabalho e o negócio de redações em todo o Brasil. O acordo integra investimentos de R$ 2 milhões do Google a associações e consórcios de mídia brasileiros por meio da GNI, que engloba outras frentes de apoio da empresa norte-americana a iniciativas jornalísticas desde 2018.

Além da parceria com a ANJ, os recursos da GNI destinados a associações e consórcios serão alocados em outras frentes. Em uma delas, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) volta a liderar, em 2019, o projeto Comprova, agora em sua segunda edição. A iniciativa colaborativa reuniu 24 empresas de mídia do Brasil durante a campanha eleitoral de 2018. Por 12 semanas a coalizão monitorou e verificou a veracidade de informações compartilhadas por fontes não oficiais nas redes sociais e em aplicativos de mensagens. Em outra, o Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor) estará à frente da próxima fase do Projeto Credibilidade, um consórcio de mídia que está construindo padrões para identificar o jornalismo de qualidade online.

Investimento de US$ 36 milhões

Criada em março do ano passado, a Google News Initiative é, segundo o Google, um esforço da companhia para ajudar “o jornalismo a prosperar na era digital”. O comprometimento global do projeto é de U$S 300 milhões em três anos. Até o momento, informa o Google, a GNI investiu US$ 120 milhões em iniciativas da empresa de buscas na web ao lado de mais de 350 organizações em 70 países. No Brasil, esse investimento chegou a US$ 36 milhões desde então.

Hoje, durante o Google for Brasil, realizado em São Paulo, foram anunciadas novas etapas dessas ações, incluindo as parcerias com ANJ, Abraji e Projor. Uma delas, o Desafio de Inovação Google News Initiative da América Latina, informou o Google, beneficiará ações com o objetivo de garantir a sustentabilidade das empresas jornalísticas no continente, graças ao desenvolvimento de novos modelos de negócios e produtos jornalísticos. Cada projeto selecionado poderá receber até R$ 1 milhão como apoio da GNI. As inscrições estão abertas para qualquer empresa jornalística: nativos digitais, startups, ONGs, veículos tradicionais, canais de televisão e freelancers.

A GNI anunciou ainda a criação da Incubadora Jornalística de Nativos Digitais, projeto piloto pioneiro no Brasil e no Google que oferecerá tutoria e espaço físico no Google for Startups Campus, em São Paulo, para equipes que estão criando empresas jornalísticas digitais. Elas receberão acesso a produtos e mentores do Google, especialistas da área e recursos para acelerar o desenvolvimento dos seus negócios, de modo que elas tenham mais chance de serem sustentáveis.

Além disso, a GNI informou ter iniciado na última semana o trabalho do Laboratório de Assinaturas, um programa que vai ajudar oito empresas de jornalismo na América Latina, incluindo quatro brasileiras, para levar à excelência seu negócio de assinaturas. Elas vão receber apoio especializado da Mather Economics, da Associação Mundial de Jornais (WAN-IFRA) e do Google, para potencializar suas assinaturas digitais. A GNI também irá produzir guias e referências de melhores práticas do Laboratório de Assinaturas para que outras empresas de jornalismo possam se beneficiar da experiência.

Educação midiática

Também nesta quinta-feira, o Instituto Palavra Aberta e o Google lançaram o Programa de Educação Midiática (EducaMídia), informou a Folha de S.Paulo. O projeto visa dar apoio para crianças e jovens consumirem e produzirem informação de maneira responsável, além de difundir no país o conceito de "media literacy", alfabetização ou educação de mídia.

Por meio de seu braço filantrópico, Google.org, a empresa de tecnologia anunciou um investimento de R$ 4 milhões no projeto brasileiro, ao longo dos próximos dois anos. “Vamos treinar mais de 5 mil professores e atingir 175 mil estudantes em 10 estados”, afirmou o vice-presidente para assuntos globais do Google, Kent Walker, durante o evento Google For Brasil.

Patricia Blanco, presidente-executiva do Palavra Aberta, destacou que o primeiro objetivo do EducaMídia é fazer com que o tema seja conhecido e que "haja uma relação entre educação midiática e o Campo Jornalístico Midiático", incluído na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), do Ministério de Educação, a partir de janeiro deste ano. "Esse campo traz coisas como interpretar o texto jornalístico e diferenciar os gêneros textuais, que são justamente a base da educação midiática que a gente tem trabalhado há três, quatro anos", diz Blanco, que apresentou junto com o Google uma plataforma com um currículo básico a ser usado por professores e alunos do sexto ao nono ano, como previsto na BNCC.

A plataforma do Programa de Educação Midiática está no endereço educamidia.org.br.

Leia mais em:

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/06/palavra-aberta-e-google-lancam-projeto-de-educacao-midiatica.shtml

http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/82175/lancamentos+do+google+brasil+prometem+impactar+o+jornalismo

https://knightcenter.utexas.edu/pt-br/blog/00-20942-google-vai-financiar-com-ate-us-250-mil-projetos-jornalisticos-digitais-inovadores-na-