Reguladores da Irlanda investigam se Facebook quebrou regra da UE ao escutar e transcrever áudio do Messenger Reprodução/Forbes

Reguladores da Irlanda investigam se Facebook quebrou regra da UE ao escutar e transcrever áudio do Messenger

A Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (DPC), principal regulador do Facebook na União Europeia (UE), informou nesta quarta-feira (14) estar em busca de informações sobre como a rede social norte-americana manipulou dados na escuta e transcrição de gravações de áudios de usuários no aplicativo de mensagens da plataforma, o Messenger. O Facebook admitiu esta semana contratar funcionários terceirizados para  o serviço.

Depois que a prática foi revelada no começo desta semana pela Bloomberg, o Facebook informou que “assim como a Apple e o Google, paramos a análise humana de áudios há mais de uma semana”. O trabalho, segundo a empresa, tinha como objetivo avaliar se a inteligência artificial é capaz de interpretar corretamente as mensagens recebidas e responder de forma satisfatória aos pedidos dos usuários. De acordo com o Facebook, o sistema foi suspenso depois da repercussão negativa das notícias de que outras empresas tinham políticas similares com suas assistentes de voz.

A opção de áudio pelo Messenger foi implantada em 2015. O Facebook, alega que os usuários são notificados de que as informações trocadas pelo aplicativo serão “automaticamente processadas” para análise do contexto e conteúdo. No entanto, não fica claro que o processo é feito por humanos. Os funcionários encarregados da transcrição não tinham acesso aos dados dos usuários.

Uma das agências contratadas, segundo a Bloomberg, é a TaskUs, na Califórnia. Os funcionários não têm permissão de revelar publicamente para quem estão trabalhando e se referem ao Facebook com o codinome “Prism”. "O Facebook pediu à TaskUs para pausar esse trabalho há uma semana, e foi o que aconteceu", afirma a TaskUs.

A prática se mostrou comum entre as gigantes da tecnologia, segundo a revista Época Economia. Além da Apple e Google, foi revelado que a Microsoft escuta as conversas feita pelo Skype e pela sua assistente de voz Cortana. A Amazon também já admitiu que ouve e transcreve os áudios dos usuários com a Alexa. No entanto, de acordo com a empresa de Jeff Bezos, os usuários terão a opção de recusar o serviço de avaliação feito por humanos.

A DPC, informou a Reuters, já tem oito investigações individuais sobre a gigante de mídia social dos Estados Unidos, e mais duas no WhatsApp e uma no Instagram. “Além de nosso envolvimento contínuo com o Google, Apple e Microsoft em relação ao processamento de dados pessoais no contexto da transcrição manual de gravações de áudios, estamos agora buscando informações detalhadas do Facebook sobre o processamento em questão e como o Facebook acredita que tal processamento de dados está em conformidade com suas obrigações com a GDPR”, disse a comissão, referindo-se às regras de privacidade de dados da UE.

Sob o Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE (GDPR), os reguladores podem aplicar multas por violações de até 4% da receita global de empresas ou 20 milhões de euros, o que for maior, relatou a Reuters.

Leia mais em:

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKCN1V41PQ-OBRIN

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2019/08/facebook-escuta-e-transcreve-conversas-de-audio-do-messenger.html