Imprimir esta página
Facebook está fora da união de gigantes de mídia dos EUA para chegar à “nova maioria multicultural” Reprodução/Brookings

Facebook está fora da união de gigantes de mídia dos EUA para chegar à “nova maioria multicultural”

Os maiores players da mídia norte-americana formaram uma coalizão intersetorial para entender melhor o público multicultural e oferecer informações sobre como estabelecer estratégias de comunicação em um país que caminha para uma mudança demográfica histórica, com a população branca passando à minoria nos próximos anos. Uma transformação que, no momento, é acompanhada pelo avanço de ideias extremistas e de segregação, com forte protagonismo da chamada "supremacia branca". O Facebook, que ao lado do Google forma o duopólio digital, não integra o grupo, informou o site The Drum.  

A aliança é liderada pela GroupM, empresa de mídia da multinacional britânica WPP, será composto por representantes da Disney, Google, iHeartMedia, Meredith Corporation, NBCUniversal, Twitter, Univision e Viacom. Gonzalo del Fa, presidente de multiculturalidade do GroupM, observou ao The Drum que a coalizão está em sua "primeira fase" e espera que "seja capaz de acolher outros líderes para ingressar nesse movimento" em uma data posterior. Um representante do Facebook disse que não estava ciente da formação da aliança, batizada de New Majority Ready Coalition.

O objetivo da coalizão é reeducar os proprietários e planejadores de mídia em seu ofício, à medida que o público minoritário racial ganha domínio na demografia dos Estados Unidos. O Censo, diz o The Drum, projeta que o país se tornará "branco minoritário" até 2045, forçando a mídia a reavaliar as práticas do século XX desenvolvidas quando se falava com um público homogêneo.

O comunicado à imprensa que anunciava a coalizão observou que, embora muitos proprietários de marcas tenham adotado iniciativas de diversidade e inclusão, há evidências de que as estratégias de investimento em mídia não progrediram da mesma maneira.

"A demografia multicultural na América está cada vez mais alimentando a economia – atualmente representa 40% da população dos Estados Unidos –, mas os dólares em anúncios são desproporcionalmente baixos em apenas 5%", disse del Fa.

O grupo pretende oferecer conteúdo de plataforma cruzada e "soluções" de mídia; uma ferramenta de benchmarking que avalia a prontidão de uma marca para a mudança demográfica; e uma campanha do setor que incentivará os profissionais de marketing e executivos de mídia a entender melhor como a população da América deve mudar.

"Os fatos apontam claramente para uma oportunidade empolgante para as marcas se envolverem e crescerem com uma população crescente que comanda e influencia um poder de compra significativo nos Estados Unidos e só aumentará", disse Tim Castree, executivo-chefe do GroupM.

"Com relação a essa realidade cultural e em reconhecimento à oportunidade de negócios, esperamos que, ao reunir a indústria, possamos entender melhor a nova maioria e criar relacionamentos de marca autênticos, sustentáveis e envolventes com eles".

Leia aqui o texto original do The Drum.