Vice-presidente de notícias da empresa, Richard Gingras Vice-presidente de notícias da empresa, Richard Gingras /Reprodução

Google muda exibição de notícias para não pagar publishers na França

O Google decidiu mudar a forma como exibe notícias produzidas por editores europeus na França ao invés de pagar pela exibição de trechos de notícias, conforme está previsto nas novas regras de direitos autorais que entram em vigor no país em outubro, validando uma decisão da União Europeia (UE).

O gigante de buscas, segundo o site Politico, a CNN e o The Wall Street Journal, exibirá apenas as manchetes dos textos, anunciou nesta quarta-feira (25) o vice-presidente de notícias da empresa, Richard Gingras. Com a medida, o Google só exibirá visualizações e imagens em miniatura de notícias caso os editores concordarem em fornecê-las gratuitamente.

“As pessoas confiam no Google para ajudá-las a encontrar informações úteis e autorizadas, de diversas fontes. Para manter essa confiança, os resultados da pesquisa devem ser determinados pela relevância, e não pelas parcerias comerciais”, escreveu Gingras no blog da empresa. “É por isso que não aceitamos pagamento de ninguém para ser incluído nos resultados de pesquisa. Nós vendemos anúncios, não resultados de pesquisa, e todos os anúncios no Google estão claramente marcados. É também por isso que não pagamos aos editores quando as pessoas clicam em seus links em um resultado de pesquisa”.

A medida é decepcionante para os publishers que esperavam obter receita adicional como resultado da nova legislação. A França é o primeiro país a implementar as regras de direitos autorais da UE aprovadas no início deste ano.

Quando o Parlamento Europeu aprovou as alterações, informa o site Politico, a expectativa era que o Google pudesse ser obrigado a pagar aos editores o uso de trechos de seu conteúdo, o chamado "imposto sobre links".

O texto de Gingras no blog do Google enfatiza que, em 2018, a empresa “enviou mais de 14 bilhões de dólares para editoras de todo o mundo”. Também destaca o investimento de US$ 300 milhões ao longo de três anos em projetos de organizações de notícias por meio da Google News Initiative.

Os governos europeus têm até 2021 para implementar leis que refletem as novas regras de direitos autorais da UE. Segundo estimativas de algumas editoras da França, a perda de receita para seu setor devido ao poder do Google e do Facebook no mercado de publicidade on-line varia entre 250 milhões e 320 milhões de euros por ano.

Leia mais em:

https://www.politico.eu/article/licensing-agreements-with-press-publishers-france-google/?utm_source=Daily+Lab+email+list&utm_campaign=30e471214c-dailylabemail3&utm_medium=email&utm_term=0_d68264fd5e-30e471214c-386384393

https://edition.cnn.com/2019/09/25/tech/google-france-copyright-news/index.html

https://www.wsj.com/articles/google-refuses-to-pay-for-news-links-in-france-11569409735

https://www.blog.google/perspectives/richard-gingras/how-google-invests-news/