Imprimir esta página
ANJ e TSE traçam estratégias para combater desinformação na eleição de 2020; tema é destaque de seminário do dia 17, em SP Reprodução/TSE

ANJ e TSE traçam estratégias para combater desinformação na eleição de 2020; tema é destaque de seminário do dia 17, em SP

O diretor executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, esteve reunido esta semana com representantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para começar a traçar estratégias de enfrentamento a possível disseminação de desinformação nas redes sociais no período que antecede às eleições municipais de 2020. A propagação de conteúdos falsos marcou de forma negativa a disputa eleitoral de 2018, e há preocupação de que o problema volte a ocorrer no ano que vem. O tema será debatido na próxima quinta-feira (17) em seminário promovido pela ANJ em São Paulo.

Pedreira reuniu-se na terça-feira (8) com o juiz auxiliar do TSE e coordenador do grupo gestor do programa, Ricardo Fioreze, e a assessora-chefe de Comunicação do tribunal, Ana Cristina Rosa. Na ocasião, o diretor executivo da ANJ reiterou a disposição da instituição de colaborar efetivamente com o TSE em ações compartilhadas de interesse da sociedade. Destacou ainda que o jornalismo profissional é o principal antídoto à desinformação que ameaça a democracia e tem a responsabilidade de estar ao lado de iniciativas como a proposta pelo TSE, por meio do seu Programa de Enfrentamento à Desinformação.

A frente criada pelo tribunal prevê uma série de iniciativas para capacitar as pessoas a identificar e checar uma desinformação, estimular a compreensão sobre o processo eleitoral, incluindo o funcionamento da urna eletrônica, desestimular ações de proliferação de informações falsas e aperfeiçoar métodos de identificação de possíveis práticas de disseminação de conteúdos falaciosos. Spots, vídeos e banners têm sido disponibilizados pelo TSE para divulgação gratuita pelos veículos de comunicação e redes sociais.

Minuto da Checagem

Uma das peças, o Minuto da Checagem, desenvolvida pelo Núcleo de Rádio e TV do TSE, por exemplo, tem por objetivo explicar para os eleitores a importância de verificar, antes de compartilhar, a veracidade das informações recebidas ou acessadas em redes sociais, aplicativos de celular e sites. O programa tem duração aproximada de um minuto e será veiculado uma vez por mês no canal da Corte Eleitoral no YouTube e também no intervalo da programação da TV Justiça e das demais 500 emissoras parceiras que retransmitem a programação audiovisual da Assessoria de Comunicação do TSE.

O Programa de Enfrentamento à Desinformação do tribunal foi instituído pela presidência da corte para combater os efeitos negativos provocados pela desinformação no processo eleitoral brasileiro, particularmente nas Eleições Municipais de 2020. Atualmente, conta com 35 instituições parceiras, entre partidos políticos e entidades públicas e privadas.

Os representantes do grupo gestor do programa dentro do TSE também estiveram reunidos com o diretor geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), Cristiano Lobato Flores, a diretora de Comunicação, Teresa Azevedo, e o gerente jurídico da entidade, Rodolfo Salema. A agenda da semana incluiu ainda reuniões no Ministério Público Eleitoral (MPE), na Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) e na Associação Brasileira de Imprensa (ABI). “Os encontros foram proveitosos para o estabelecimento de algumas atividades conjuntas”, afirmou Fioreze, coordenador do grupo gestor do programa.

Leia mais em:
http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2019/Outubro/tse-lanca-nesta-sexta-feira-4-programa-minuto-da-checagem

https://www.abert.org.br/web/index.php/notmenu/item/26862-abert-e-tse-juntos-contra-desinformacao-nas-eleicoes-2020

http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2019/Outubro/enfrentamento-a-desinformacao-grupo-gestor-do-tse-se-reune-com-dirigentes-de-instituicoes-parceiras