NOTA À IMPRENSA

NOTA À IMPRENSA

A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) repudiam a ação abusiva da Polícia Militar (PM) da Bahia que, na manhã desta sexta-feira (14), deteve os repórteres Hugo Marques e Cristiano Mariz, da revista VEJA, quando os dois estavam no exercício de seu trabalho. A iniciativa arbitrária é um claro atentado contra a liberdade de imprensa.

A abordagem inicial aos dois jornalistas, quando duas viaturas da PM cercaram Marques e Mariz, a detenção dos profissionais por cerca de 20 minutos e, ainda, a apreensão temporária de um gravador com várias entrevistas são atitudes injustificáveis. Os fatos são ainda mais alarmantes porque ocorreram após os repórteres terem se identificado e mostrado suas credenciais de imprensa.

Na prática, a ação assemelha-se a tentativas intimidadoras que têm como objetivo restringir a circulação de informação independente e de interesse público.

As associações aguardam que as autoridades apurem os fatos com rigor.

Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) 
Associação Nacional de Jornais (ANJ)

Brasília, 14 de fevereiro de 2020.