Facebook testa feed de notícias sem conteúdo jornalístico e desagrada publishers Reprodução/Folha de S.Paulo

Facebook testa feed de notícias sem conteúdo jornalístico e desagrada publishers

O Facebook diz estar procurando ajudar os publishers, mas na sua mais recente iniciativa, ainda em testes, parece ir no sentido contrário. Usuários do Facebook residentes no Sri Lanka, Bolívia, Eslováquia, Sérvia, Guatemala e Camboja deixaram de ver no Feed de Notícias de suas contas na empresa de Mark Zuckerberg os conteúdos compartilhados por páginas, modalidade usada pelos produtores de conteúdo para os links de suas publicações.

Sem poder visualizar notícias, as pessoas nesses países enxergam apenas o que é publicado por amigos. O conteúdo das páginas mistura-se aos demais somente por meio de pagamento. Atualmente, relata o jornal El País, o Facebook intercala todos compartilhamentos, dando maior impulso para quem investe em publicidade segmentada, buscando perfis específicos.

Publishers dos países afetados informaram queda em seus tráfegos via Facebook. Na Eslováquia, 60 sites noticiosos viram seu tráfego cair em até um terço. “A maior queda de alcance orgânico que já experimentamos”, disse Filip Struhárik, editor do Denník N, um jornal de Bratislava. “Facebook considera casualmente aniquilar a mídia digital”, ironizou em título a Vanity Fair. “É o clássico playbook do Facebook: primeiro dê muito acesso orgânico a um tipo de conteúdo, adiante eles precisam pagar pelo alcance, então eles somente conseguem chegar a alguém pagando”, destacou Matti Littunen, pesquisados sênior da Enders Analysis, ao The Guardian.

O teste, reportou Brian Feldman, da New York Magazine, é aterrorizante para os publishers. Para a maior parte dessas empresas, o tráfego do Facebook representa de um quarto à metade do total. Uma grande queda nas interações e no alcance, escreveu o jornalista, resultaria em amplas consequências para uma indústria que já opera com com receitas muito magras.

Adam Mosseri, responsável pelo Feed de Notícias do Facebook, repetiu o que o Facebook faz sempre que justifica medidas como essa: minimizou os impactos dos testes e negou que cobrar ainda mais para empresas que querem visibilidade esteja nos planos globais da empresa. “Sempre escutamos a nossa comunidade com a intenção de melhorar. As pessoas nos dizem que gostariam de ver de maneira mais simples o que seus familiares e amigos compartilham. Assim, estamos testando um espaço dedicado à família e amigos e outro, à parte, chamado Explore, para as mensagens das páginas”.

A finalidade destes testes, afirmou Mosseri, é entender se as pessoas preferem um espaço separado. “Vamos escutar o que dizem para ver se iremos adiante. Não há um plano para ir além disso nesses países ou para cobrar das páginas para ter mais visibilidade na capa ou no Explore. Infelizmente, muitos, erroneamente, interpretaram mal. Mas não é essa a nossa intenção”.

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/10/25/tecnologia/1508902274_046678.html

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/nelsondesa/2017/10/1929940-casualmente-facebook-testa-tirar-as-noticias-do-feed-de-noticias.shtml

http://nymag.com/selectall/2017/10/why-facebook-is-terrifying-publishers-with-a-new-test.html

http://www.bbc.com/news/technology-41733119

https://www.theguardian.com/technology/2017/oct/23/facebook-non-promoted-posts-news-feed-new-trial-publishers