Censura e violência à imprensa criam ambiente de desinformação e governo diz que há normalidade na Venezuela

A Venezuela viveu na segunda-feira (10) mais um dia de protestos da oposição, o quinto em  abril, contra o presidente Nicolás Maduro marcados por violência, feridos e, até agora, a morte de quatro pessoas, segundo relatos. Mas as informações são incertas, isso porque o governo chavista acirrou a censura e os ataques a jornalistas e veículos de comunicação, em uma ação que impede o relato dos fatos. Exemplo disso é um vídeo que capta o momento em que, nesta segunda-feira, em Caracas, a Polícia Bolivariana lança, desde um helicóptero, bombas de gás lacrimogênio – usadas de forma indiscriminada pelo governo nas manifestações e que, nesta semana, atingiram crianças, jornalistas e políticos. A defensoria pública rechaçou a ação, mas a gestão de Maduro alegou se tratar de imagem descontextualizada de um país em “normalidade”. No mesmo dia a coalizão opositora Mesa de la Unidad Democrática (MUD) informou ter contabilizado cerca de 200 feridos em protestos no país. A oposição voltará às ruas em 19 de abril.

Leia mais em:

http://noticias.caracoltv.com/mundo/lluvia-de-gases-lacrimogenos-afecto-ninos-periodistas-y-lideres-politicos-en-venezuela

http://noticias.caracoltv.com/mundo/un-pais-en-total-normalidad-ministro-venezolano-tras-protestas-que-dejaron-15-heridos