Cidades do Brasil têm o maior número de pessoas sem acesso à internet entre as oito maiores economias do mund

O Brasil é, entre as oito maiores economias do mundo, o país com o maior número de pessoas desconectadas da internet em áreas urbanas, segundo o mais recente estudo do IHS Markit e da Wireless Broadband Alliance (WBA). O levantamento, que retrata a gravidade do problema da divisão digital, revela que 68,7 milhões de brasileiros que vivem nas cidades (38,16% da população dessas regiões) não estão conectados à web. China e Índia enfrentam situação semelhante. No primeiro caso, há 272,4 milhões (34,44%) de chineses sem conexão mesmo vivendo no meio urbano. Nas cidades da Índia são 128.272 (31,14%) de desconectados. Os três países em desenvolvimento também lideram o ranking quando comparados os números totais de pessoas sem conexão, incluindo as áreas rurais: Índia, 68,55%; China, 47,01%; e Brasil, 43,25%. Também são essas as regiões com maior desigualdade entre os índices de acesso à internet no campo e nas cidades. Nas áreas rurais da Índia, 87,05% não estão ligados à internet. No Brasil o percentual de desconectados no campo é de 74,50% e na China, de 63,86%.

A pesquisa confirma que nos oito países de maior Produto Interno Bruto (PIB) do planeta (Brasil, China, Alemanha, Índia, Japão, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos) a adoção da internet foi mais rápida nas cidades do que nas áreas rurais. Mesmo assim, as áreas urbanas enfrentam desafios significativos para a expansão dos usuários de internet. Esses desafios incluem limitação na capacidade de despesa, falta de disponibilidade de tecnologia, ausência de conscientização sobre os benefícios obtidos com a utilização da internet e insuficiente alfabetização em Tecnologia da Informação (TI), diz o estudo. “A conectividade agora é uma mercadoria essencial, na mesma categoria que energia e água. No entanto, muitas pessoas em algumas das principais cidades do mundo ainda não possuem conexão à internet “, reforçou Shrikant Shenwai, CEO da WBA.

A falta de conectividade urbana, disse Shenwai, é de importância crítica para as economias e sociedades em todo o mundo. “Apelamos aos governos de todo o mundo para redobrarem o foco na conexão do cidadão urbano desconectado. É vital que o acesso à Internet seja reconhecido como um direito humano e que todas as partes interessadas envolvidas no fornecimento de banda larga trabalhem juntas para que isso aconteça “, acrescentou.

Leia mais em: