Com eleição marcada para domingo (1º), México registra cinco assassinatos de jornalistas em 2018

Com eleição marcada para domingo (1º), México registra cinco assassinatos de jornalistas em 2018

O México vai às urnas em eleição geral no próximo domingo (1º de julho) após um sangrento período pré-eleitoral, no qual o jornalismo sofreu violentos ataques, em consonância com um triste cenário que se repete há décadas no país. A organização não-governamental (ONG) de defesa à liberdade de expressão Repórteres Sem Fronteiras (RSF) informou nesta quinta-feira (28) que o país registrou cinco assassinatos de jornalistas, além de quatorze ameaças de morte, no primeiro semestre, permanecendo como a região mais perigosa do continente americano para os repórteres.

Além disso, organizações defensoras da liberdade de expressão documentaram pelo menos 45 casos de ataques a jornalistas – entre agressões verbais, assédio digital e violência física. Os principais agressores foram as coalizões políticas que disputam o poder nas diversas regiões do México, muitas delas infiltradas pelo crime organizado.

Diante desse cenário, o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) emitiu um alerta a jornalistas que cobrem a eleição no México. A entidade ressalta que os profissionais devem tomar precauções para proteger a integridade pessoal. “Aqueles que relatam em áreas com alta criminalidade devem agir com cautela ainda maior e realizar avaliações de risco que incluam planos de emergência antes de ir para essas áreas”, disse o CPJ.

Os jornalistas, frisou a organização, também correm o risco de as autoridades confiscarem dispositivos eletrônicos e usarem spyware contra eles. “Por isso, devem tomar medidas de segurança digital para proteger seus equipamentos e dados”. Leia aqui todas as orientações do alerta emitido pelo CPJ.  

Decisão judicial

Em meio à violência, uma notícia positiva: três anos após de ter sido retirada do ar por causa de uma reportagem investigativa envolvendo o presidente mexicano Enrique Peña Nieto, a jornalista Carmen Aristegu obteve uma vitória judicial. Um tribunal federal do México decidiu, no último dia 21, que a demissão da comunicadora do grupo de rádio MVS foi ilegal, informou o Centro Knight.

Leia mais em:

https://cpj.org/es/2018/06/advertencia-de-seguridad-del-cpj-la-cobertura-de-l.php#more

https://knightcenter.utexas.edu/pt-br/blog/00-19891-demissao-de-jornalista-carmen-aristegui-foi-ilegal-confirma-tribunal-federal-mexicano

https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/9856-entidades-denunciam-aumento-da-violencia-contra-jornalistas-no-mexico-em-meio-a-processo-eleitoral.html

https://www.efe.com/efe/brasil/mundo/rsf-adverte-sobre-ano-negro-com-47-jornalistas-assassinados/50000243-3665136

https://rsf.org/pt/noticia/de-acordo-com-rsf-47-jornalistas-e-colaboradores-de-meios-de-comunicacao-ja-foram-mortos-no-primeiro