Entidades internacionais condenam repressão e pedem à CIDH proteção aos jornalistas que cobrem crise na Venezuela Reprodução/SIP

Entidades internacionais condenam repressão e pedem à CIDH proteção aos jornalistas que cobrem crise na Venezuela

Organizações internacionais de defesa das liberdades de imprensa e expressão condenaram nesta terça-feira (26) o agravamento da repressão à imprensa na Venezuela, marcada pela detenção e posterior deportação de uma equipe de jornalismo da emissora de televisão Univison. Em comunicado conjunto, as entidades – entre elas a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA) e a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) – fazem uma série de alertas sobre a censura imposta pelo presidente Nicolas Maduro, solicitam que a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) decrete medidas de proteção cautelar aos profissionais que cobrem a crise venezuelana e convocam a comunidade internacional a atuar pela garantia do livre exercício do jornalismo no país.

Abaixo os principais pontos do comunicado emitidos pelas organizações internacionais, a partir do caso envolvendo a equipe da Univison, liderada pelo jornalista Jorge Ramos:

  • A detenção constitui uma grave violação da liberdade de imprensa e afeta o direito à informação diante em meio a uma série de fatos que ocorrem na Venezuela e que são de interesse global.
  • O fato de, antes da retenção dos jornalistas nesta semana, pelo menos 19 outros comunicadores foram detidos na Venezuela neste ano, confirmando padrão de desprezo aos valores democráticos por parte de Nicolás Maduro, por meio do qual a restrição à liberdade dos jornalistas é utilizada como mecanismo de chantagem no ápice de crise que atravessa o país.
  • A arbitrariedade da detenção desta semana é agravada por ter ocorrido durante uma entrevista com Maduro e na sede do governo venezuelano.
  • O confisco dos equipamentos dos jornalistas detidos nesta semana é um ato de censura continuado até que a devolução seja feita.
  • Convocação da comunidade internacional, incluindo os países que reconhecem Maduro como presidente, que com base nos compromissos firmados no âmbito do direito internacional prestem especial observância às garantias para uma imprensa livre na Venezuela. O respeito à liberdade de imprensa, segundo as entidades, é requisito imprescindível e prioritário nas relações internacionais.
  • Solicitação à Comissão Interamericana de Direitos Humanos que decrete medidas de proteção cautelar aos jornalistas que cobrem a crise venezuelana.
  • Manifestação de solidariedade com os jornalistas detidos e a equipe de notícias da Univision.
  • Convocação para que o jornalismo das Américas some esforços solidários e de união com o objetivo de manter comunidade internacional informada sobre o que ocorre na Venezuela.

Leia mais em:
https://www.sipiapa.org/notas/1212996-comunicado-conjunto-detencion-periodistas-univision-el-palacio-miraflores