Imprimir esta página
SIP lamenta fechamento de mais um jornal em uma Venezuela sob repressão do governo e em crise econômica Reprodução

SIP lamenta fechamento de mais um jornal em uma Venezuela sob repressão do governo e em crise econômica

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) responsabilizou o governo da Venezuela, do presidente Nicolás Maduro, pelo encerramento da edição impressa do jornal Panorama, por falta de papel. O diário, de 104 anos, circulou no meio impresso pela última vez na terça-feira (14), juntando-se a quase 70 outros jornais venezuelanos que fecharam suas edições em papel, de maneira temporária ou permanente, entre 2013 e 2019.

“Foi silenciado um jornal, membro da SIP, que durante 104 anos, com pluralismo editorial, rigor e veracidade, informava dia a dia sobre os principais fatos da Venezuela e do mundo, defendendo os interesses dos cidadãos de Maracaibo, em Zulia, e todo o centro ocidental do país, onde foi o jornal de maior circulação e o de maior índice de leitores”, informou em nota a entidade jornalística. A edição digital do diário permanece em atividade.

O Panorama, segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores de Imprensa (IPYS) do país, é o 67º jornal venezuelano a abandonar a circulação impressa desde 2013 e 2019. A organização não governamental Espaço Público, por sua vez, estima que 51 meios de comunicação deixaram de funcionar na Venezuela no ano passado (46 rádios, três emissoras de TV e dois jornais) devido a sanções, problemas econômicos e falta de matéria-prima como papel jornal, cuja importação é monopolizada pelo Estado. Zulia se une a outros três Estados venezuelanos que não têm mais uma publicação impressa.

“Esgotado nosso inventário de papel, a edição impressa do Panorama diz até breve aos seus fiéis leitores. Nossa tarefa de informar continuará com a mesma responsabilidade e dedicação no nosso site”, informou o jornal na sua primeira página. Em 2013, o governo Maduro modificou as condições de controle cambial e retirou o papel para a imprensa dos setores prioritários com acesso a dólares com a taxa oficial. A crise na imprensa é agravada pela crise econômica que atinge o país.

Leia mais em:

https://knightcenter.utexas.edu/pt-br/blog/00-20882-jornal-venezuelano-de-104-anos-e-mais-recente-publicacao-encerrar-edicao-impressa-por-

https://oglobo.globo.com/mundo/jornal-venezuelano-centenario-deixa-de-circular-por-falta-de-papel-23665148

https://www.poder360.com.br/midia/sem-papel-jornal-centenario-deixa-de-circular-na-venezuela-dw/

https://www.sipiapa.org/notas/1213208-panorama-apaga-su-rotativa