SIP condena quarto assassinato de jornalista neste ano no México, onde haverá eleição geral em julho

SIP condena quarto assassinato de jornalista neste ano no México, onde haverá eleição geral em julho

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou o assassinato do jornalista Juan Carlos Huerta, no último dia 15, na cidade de Villahermosa, no estado de Tabasco, no México. Trata-se do quarto jornalista morto neste ano no país, um dos mais violentos do mundo para o exercício do jornalismo. Gustavo Mohme, presidente da SIP, classificou o crime como “mais um ato de barbárie”, instou as autoridades a investigar o homicídio com urgência e alertou para um agravante: o período de agitação política no México por conta das eleições gerais marcadas para julho deste ano.

Huerta estava saindo de sua casa em uma parte da cidade conhecida como Flor de Trópico quando seu carro foi bloqueado por homens armados em dois veículos, informou o Centro Knight. Eles atiraram contra o jornalista e o atingiram pelo menos quatro vezes, segundo o site de notícias Tabasco HOY.

O comunicador era diretor geral da estação de rádio Sin Reservas. A estação, que é transmitida ao vivo online em vídeo, celebrou recentemente seu aniversário de dois meses. Huerta também foi apresentador do programa de televisão Notinueve, no Canal 9.

A SIP exigiu que os quatro assassinatos de jornalistas registrados neste ano não fiquem impunes. Além de Huerta, foram mortos em 2018 Leobardo Vázquez Atzin, em Veracruz, Pamela Montenegro del Real, em Guerrero, e Carlos Domínguez, em Tamaulipas.

Leia mais em:

http://www.sipiapa.org/notas/1212467-la-sip-condena-asesinato-periodista-mexico

https://knightcenter.utexas.edu/pt-br/blog/00-19658-jornalista-mexicano-de-radio-e-tv-e-assassinado-em-tabasco