Mudanças feitas pelo governo britânico nos briefings diários ameaçam a liberdade de imprensa, dizem jornalistas Reprodução/The Guardian

Mudanças feitas pelo governo britânico nos briefings diários ameaçam a liberdade de imprensa, dizem jornalistas

O sindicato nacional dos jornalistas do Reino Unido alertou nesta segunda-feira (06) para os riscos à livre expressão embutidos na decisão do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, de promover mudanças na forma como o governo informa os profissionais que reportam a partir de Westminster. Para a entidade, as alterações são, "em última análise, uma ameaça à liberdade de imprensa". Organizações que representam publishers pediram ao governo uma revisão nas alterações que entraram em vigor hoje a partir das considerações dos jornalistas. 

A administração de Johnson, também jornalista, mudou os briefings diários com repórteres credenciados da sala do lobby da Câmara dos Comuns para Downing Street, residência oficial e escritório do primeiro-ministro. A ação, segundo o site Press Gazette, inclui as reuniões improvisadas que podem ser usadas para esclarecer rapidamente qualquer confusão sobre a posição do governo, anteriormente realizadas na Lower Reporter’s Gallery, no Parlamento.

Christopher Hope, presidente grupo dos credenciados para cobrir o governo – conhecido como Lobby – e principal correspondente político do Telegraph, levantou receios de que essas mudanças dificultariam a participação nos briefings duas vezes ao dia, especialmente à tarde quando o Parlamento está movimentado. O jornalista disse que as mudanças foram feitas sem consultar os profissionais da imprensa. Também pediu um compromisso do governo para manter os briefings da tarde na Câmara dos Comuns, o que não impediria o trabalho dos  repórteres que cobrem o Parlamento.

A secretária geral National Union of Journalists (NUJ), Michelle Stanistreet, levantou hoje preocupações de que as mudanças dificultem a participação dos integrantes da imprensa local e das pequenas organizações de mídia. “Downing Street deve consultar os repórteres afetados, pois isso envia uma mensagem muito preocupante à imprensa no início do novo ano e de um novo governo”. Michelle afirmou que são necessárias garantias para que os jornalistas façam seu trabalho, que passa por responsabilizar o governo “sem impedimentos”.

A News Media Association (NMA) também exigiu uma conversa do governo com os jornalistas do Lobby, dizendo que as mudanças poderiam "enfraquecer o acesso da mídia ao governo". A NMA representa organizações noticiosas que, juntas, são lidas por mais de 48 milhões de britânicos todos os meses, tanto no impresso quanto no digital. “Jornalistas políticos em Westminster desempenham um papel vital no controle da autoridade em nome do público. É fundamental que qualquer reforma no sistema de lobby aprimore e melhore o acesso à mídia”, diz comunicado da entidade.

Leia mais em:

 https://www.pressgazette.co.uk/media-groups-call-for-government-to-meet-lobby-journalists-over-briefing-changes/