Jornalista que investiga denúncias contra organização católica no Peru enfrenta intimidação judicial e assédio on-line Reprodução

Jornalista que investiga denúncias contra organização católica no Peru enfrenta intimidação judicial e assédio on-line

A jornalista peruana Paola Ugaz enfrenta uma brutal ação sistemática, que inclui perseguição judicial, hackeamento e assédio nas redes sociais, numa tentativa de impedi-la de publicar novas informações sobre a investigação que faz, desde 2010, a respeito de abusos na organização católica Sodalício de Vida Cristã, fundada em 1971, no Peru, por Fernando Figari.

Paola, que agora está dedicada a investigar as transações financeiras do grupo religioso, tem neste momento contra ela cinco demandas por difamação. Segundo o advogado Carlos Rivera, do Instituto de Defensa Legal (IDL), as ações foram interpostas por pessoas vinculadas ao Sodalício de Vida Cristiana, em uma perseguição que é mais antiga.

Em 2015, ao lado do jornalista Pedro Salinas, Paola publicou o livro Mitad Monjes, Mitad Soldados, sobre os abusos na Sodalício de Vida Cristã. Em seguida, os dois foram processados pelo arcebispo de Piura e Tumbes, José Antonio Eguren Anselm. Em abril de 2019, o religioso retirou as queixas contra os jornalistas, mas Salinas já havia sido condenado e sentenciado a uma pena de prisão de um ano e uma multa considerável.

Em 2018, o Vaticano nomeou um representante para intervir na Sodalício de Vida Cristã e investigar a suspeita de pedofilia. Antes, em dezembro de 2017, o Ministério Público do Peru havia pedido nove meses de prisão preventiva para Figari – que vive fora do país – por crimes de formação de quadrilha, sequestro qualificado e lesões corporais – incluindo abusos sexuais – e psicológicas.

Na semana passada, a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, na sigla em espanhol), rechaçou as ações contra Paola Ugaz. A entidade também manifestou preocupação em relação a uso de demandas judiciais para amedrontar e desestimular o trabalho dos jornalistas no Peru, bem como voltou a pedir a despenalização dos delitos contra a honra no país.

 “A criminalização dos delitos contra a honra no Peru têm efeito de intimidação que afeta o livre exercício do jornalismo”, disse Roberto Rock, presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP.

Leia mais em:

https://larepublica.pe/politica/2020/01/02/denuncias-a-paola-ugaz-buscan-que-no-investigue-al-sodalicio-luis-figari-iglesia-arzobispo-de-lima/

https://www.sipiapa.org/notas/1213659-sip-deplora-acoso-legal-contra-periodista-peruana

https://brasil.elpais.com/brasil/2019/11/19/internacional/1574186102_002170.html

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/10/internacional/1515623984_438058.html

http://larepublica.pe/impresa/en-portada/716735-la-batalla-de-los-cuatro-reinos

http://larepublica.pe/impresa/sociedad/748137-los-abusos-del-sodalicio-i-y-que-fue-de-figari-y-sus-encubridores

http://rpp.pe/lima/actualidad/luis-figari-es-declardo-culpable-por-el-sodalicio-en-caso-abusos-sexuales-noticia-951045

http://www.jornada.unam.mx/2016/05/04/opinion/015a1pol

https://www.knightcenter.utexas.edu/pt-br/blog/00-20247-arcebispo-denuncia-criminalmente-jornalista-peruana-por-difamacao