Desinformação on-line propagada por políticos é a que mais preocupa as pessoas, diz estudo

Desinformação on-line propagada por políticos é a que mais preocupa as pessoas, diz estudo

Os políticos nacionais são a fonte de desinformação mais citada entre os entrevistados pela nova pesquisa do Instituto Reuters, da Universidade de Oxford, realizada em 40 países. No Brasil, 50% dos entrevistados dizem estar preocupados com o fato de que, para eles, os políticos são responsáveis pela desinformação digital.

A mais recente edição do Reuters Digital News Report, lançado nesta terça-feira (16), indica que, na média global, 40% afirmam estar preocupados com a desinformação vinda dos políticos, enquanto 14% dizem temer a desinformação vinda de ativistas e 13%, dos jornalistas e organizações de notícias.

O relatório mostra ainda que em alguns países as pessoas que afirmam seguir ideologia de direita tendem a culpar mais a mídia pela desinformação, dentro de um contexto de polarização política.

Em quase todos os lugares, o Facebook é percebido como o principal canal de divulgação de informações falsas, mas em alguns países –como o Brasil – o WhatsApp é apontado como o campeão da desinformação.

A pesquisa indica que, durante a crise de COVID-19, a mídia está entre as fontes de maior confiança entre as pessoas (59%), atrás apenas dos cientistas e das autoridades nacionais e internacionais de saúde. As mídias sociais e os aplicativos de mensagens aparecem como os menos confiáveis, com 26% e 24%.

Leia mais em:

https://reutersinstitute.politics.ox.ac.uk/digital-news-report-2020-resumen-ejecutivo-y-hallazgos-clave

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/nelsondesa/2020/06/politicos-sao-o-que-mais-preocupa-como-fonte-de-fake-news.shtml