UNESCO alerta para o aumento da violência contra jornalistas que cobrem manifestações CPJ

UNESCO alerta para o aumento da violência contra jornalistas que cobrem manifestações

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) alertou nesta segunda-feira (22), em comunicado, sobre os riscos às liberdades de imprensa e de expressão causados pelo preocupante aumento da violência contra jornalistas durante manifestações públicas em diversos países.

"A cobertura de acontecimentos está no centro do trabalho jornalístico", afirmou a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay. Tal trabalho é, segundo ela, "essencial para garantir a liberdade de imprensa e o direito à informação". De acordo com a UNESCO, nos últimos anos as há cada vez mais registros de uso desproporcional da força por parte das agentes policiais contra jornalistas que cobrem manifestações.

No início de junho, a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, denunciou uma "agressão sem precedentes" contra os profissionais de comunicação social nos Estados Unidos, país que tem sido cenário nas últimas semanas de protestos antirracismo e contra a violência policial, desencadeados pela morte, em maio, do ex-segurança George Floyd, em Minneapolis, quando estava sob a custódia policial.

No comunicado desta semana, a UNESCO lembrou que, desde 2013, formou mais de 3,4 mil membros das forças de segurança em 17 países e quase 17 mil juízes e funcionários judiciais na América Latina e na África para a condução de programas de formação dedicados especificamente à liberdade de expressão.

Leia mais em:

https://en.unesco.org/news/unesco-reiterates-duty-protect-safety-journalists-covering-demonstrations