Ainda é cedo, mas por enquanto verificadores de fatos mantêm engajamento no Facebook

Ainda é cedo, mas por enquanto verificadores de fatos mantêm engajamento no Facebook

As publicações das empresas verificadoras de fatos registram, pelo menos por enquanto, estabilidade no engajamento de suas audiências via Facebook após o algoritmo da rede social passar a privilegiar, neste começo de ano, as publicações pessoais, deixando o jornalismo em segundo plano. É o que mostra análise feita, no último mês e meio, pelo site especializado Poynter com 30 páginas de companhias de fact-checking no Facebook. Os dados foram coletados a partir do CrowdTangle e avaliados por meio do Google Analytics. A mesma tendência foi registrada pela empresa de análises métricas Parse.ly.

Em geral, ao contrário das quedas verificadas no segundo semestre de 2017 e de um recuo no começo de fevereiro, a audiência permaneceu engajada. As variações para baixo mais significativas, na relação ano a ano, são explicadas pela sazonalidade eleitoral. Nos Estados Unidos, por exemplo, o engajamento das páginas dos verificadores de fato bateu recorde na eleição presidencial de 2016.

Neste começo de 2018, há até quem comemore alta significativa, como o site Snopes, mais focado em desmascarar fraudes virais sobre eventos atuais – como os relacionados ao recente tiroteio em uma escola da Flórida. "Um olhar superficial sobre nossos números de tráfego mostra que vimos um aumento de 7% na referência do Facebook e um aumento global de 20% nas visualizações de página em fevereiro na relação com o mesmo mês de 2017", disse Vinny Green, vice-presidente de operações do Snopes.

Além disso, como percebido pela Parse.ly, o tráfego geral dos sites de verificação de fato conta com parcelas importantes de entrada além do Facebook. Aaron Sharockman, diretor executivo do PolitiFact, um projeto de propriedade do Poynter, destacou que há cada vez mais referências do Google News. "Ainda há oportunidades no Facebook, mas não são quase todas". Fora dos Estados Unidos, os verificadores também viram poucas mudanças em seu envolvimento na rede social norte-americana desde o anúncio de janeiro, de acordo com dados CrowdTangle e Parse.ly.

Matt Navarra, diretor de mídia social da The Next Web, disse que os dados sugerem que os verificadores de fato até agora escaparam da redução de alcance do jornalismo promovida pelo algoritmo do Facebook. No entanto, ainda não há dados suficientes para saber qual será o real impacto da alteração nas empresas de fact-checking. Ao mesmo tempo, os resultados coletados pelo Poynter e Parse.ly não podem ser aplicados a outras páginas ou meios de comunicação.

Leia mais em:

https://www.poynter.org/news/facebooks-algorithm-change-hasnt-obliterated-fact-checkers-engagement-yet