Jornal A Gazeta (ES) extingue edição diária impressa para investir mais em jornalismo digital Reprodução/A Gazeta

Jornal A Gazeta (ES) extingue edição diária impressa para investir mais em jornalismo digital

A Rede Gazeta, do Espírito Santo, anunciou nesta quarta-feira (31) uma mudança profunda na produção e distribuição de notícias. A partir de 30 de setembro a edição diária do jornal A Gazeta, prestes a completar 91 anos, passará a circular somente no meio digital, com base em novo e mais dinâmico site e em uma variedade de outros produtos online. Ao mesmo tempo, na primeira semana de outubro, será lançada uma edição semanal impressa de A Gazeta, que circulará aos sábados na Grande Vitória e nas principais cidades do Espírito Santo.

A estratégia de reformulação, segundo o jornal, é resultado do projeto TDigital, que vem sendo desenvolvido há um ano e meio por uma equipe multidisciplinar da Rede Gazeta. O trabalho também envolveu a participação de consultores internacionais, viagens de estudos a vários países e parcerias em projetos com empresas globais como Google, Facebook e Apple. 

“Há anos a audiência dos leitores está migrando dos veículos impressos para a internet. Não é diferente com A Gazeta: se somarmos, hoje, o número de exemplares em papel vendidos em bancas e entregues aos nossos assinantes, isso se aproxima de 10 mil. Enquanto isso, no Gazeta Online, temos 140 mil visitantes únicos, em média”, escreve o diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg, em artigo publicado no site do jornal. “Desativar nosso jornal impresso diário vai liberar recursos essenciais da empresa para investirmos ainda mais em tecnologia de ponta, na modernização da nossa redação e em novos serviços digitais”. 

O projeto, afirma Café, reflete o que está acontecendo no mundo. “A forma de se comunicar mudou e os hábitos das pessoas também. Os leitores têm, claramente, trocado os jornais impressos pela informação em tempo real, na internet. Além disso, o cenário econômico, no Brasil e no mundo, impactou muito o modelo de negócio do jornalismo profissional, o que exigiu uma mudança de posicionamento”, diz. “A produção e distribuição de jornais impressos diários tornou-se inviável, além de o jornal impresso ser, hoje, um meio ineficiente de distribuir informação atualizada”,

Uma das premissas do projeto é levar para dentro da redação de A Gazeta especialistas em inteligência artificial, SEO, marketing e análise de dados para indicar estratégias de distribuição de conteúdo para melhor servir às audiências digitais com jornalismo de qualidade multiplataforma e em tempo real. Esse grupo formará a chamada Sala de Performance e atuará em conjunto com os jornalistas, para ampliar o alcance das notícias e a fidelização de leitores/assinantes. 

Para ancorar esta nova fase, o Gazeta Online se transformará em um novo site, planejado para alcançar dois tipos de público: por volume de tráfego online, com notícias gratuitas e de interesse público, que geram repercussão e tráfego em redes sociais; e premium, que são os interessados em análises, opiniões e conteúdos exclusivos, mediante cadastro e assinatura. O conteúdo da marca A Gazeta também será entregue em newsletters diárias, podcasts e por aplicativos de voz desenvolvidos por Apple e Google. 

O projeto TDigital não se restringe à migração do jornal impresso para o formato digital. As novas plataformas digitais de A Gazeta trazem ferramentas de medição de tráfego, hábitos de consumo dos internautas e performance das notícias. O sistema ainda possibilita a distribuição customizada de conteúdo em diversos formatos, de acordo com o perfil do leitor, seus hábitos de consumo de informações e geolocalização. 

A nova plataforma foi desenvolvida por equipes de desenvolvimento digital do próprio grupo, que agregou as principais inovações do jornalismo online. O processo de transformação de A Gazeta, diz Café, vai resultar em mais oportunidades de negócios. “Com ajuda da inteligência artificial, vamos poder conhecer melhor os nossos clientes e, a partir daí, poderemos pensar soluções e ofertas de mídia não só para quem navega no site de A Gazeta, mas também para o mercado anunciante, que vai conseguir dialogar melhor com seu público-alvo”, ressaltou. 

Jornal de fim de semana 

A transformação digital, no entanto, não vai resultar no fim dos jornais impressos da Rede Gazeta. A nova edição semanal impressa de A Gazeta foi elaborada para atender aquele leitor que mantém a predileção pelas páginas em papel e que faz questão de uma leitura analítica para formar opinião, como complemento às informações em tempo real que recebem online. A Gazeta de fim de semana será um novo produto, diferente da edição diária à qual o leitor já está acostumado. O jornal contará com matérias especiais, textos aprofundados de colunistas e articulistas, além de reportagens exclusivas sobre o cotidiano do capixaba. 

A Revista.ag também será reformulada e passa, a partir do primeiro fim de semana de outubro, a publicar mais conteúdo jornalístico sobre lifestyle, comportamento, relações familiares, entretenimento e serviços. Assim como ela, os cadernos Motor e Imóveis circularão com o novo jornal impresso. 

Mudanças na redação 

A implementação do projeto TDigital mudou a estrutura da redação. O comando passa para Elaine Silva, que desde 2014 ocupava o cargo de editora-executiva de A Gazeta. “A redação nunca esteve tão preparada para este momento. Ao longo dos últimos cinco anos, e de forma mais focada dos últimos três, estamos invertendo a lógica da produção focada no produto impresso. A expressão “digital first” não é só um conceito. Já se tornou realidade”, diz a jornalista. “O que vamos fazer daqui pra frente para chegar a todos esses públicos é estudar cada vez mais o consumo dos usuários, oferecendo o conteúdo na hora que eles querem, na plataforma que preferirem”, adianta a nova editora-chefe. 

Outra novidade da redação é área distribuição, informa o jornal. Este núcleo definirá a forma como o conteúdo chega para o público, planejando e executando formatos além do que o internauta encontra no site – como vídeos, podcasts, newsletters diárias e posts para redes sociais. “Não se trata apenas de uma ruptura para a lógica digital. É uma escolha feita pelos próprios usuários”, afirma Elaine Silva. A partir desta sexta-feira (02) o jornal Notícia Agora (Na!), também da Rede Gazeta, será descontinuado.

O movimento feito pelo jornal A Gazeta é semelhante à mudança implantada em 2017 pelo diário Gazeta do Povo, do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM).  

Leia mais em:

https://www.redegazeta.com.br/a-gazeta-acompanha-movimento-ja-feito-por-leitores/

https://www.redegazeta.com.br/a-gazeta-investe-em-tecnologia-digital-lanca-novo-site-de-noticias-e-reformula-impresso-para-fim-de-semana/

https://www.redegazeta.com.br/tire-suas-duvidas-sobre-a-transformacao-digital-da-rede-gazeta/