Josh Hawley, procurador-geral do Estado norte-americano de Missouri Josh Hawley, procurador-geral do Estado norte-americano de Missouri /Reprodução

Missouri investiga se Google viola leis e aumenta pressão às gigantes de tecnologia nos EUA

O procurador-geral do Estado norte-americano de Missouri, Josh Hawley, iniciou nesta segunda-feira (13) investigação para determinar se o Google violou as leis antimonopólio e de defesa do consumidor ao manipular resultados de busca para favorecer seus próprios produtos. A decisão reforça as críticas do Congresso e a tendência verificada nos Estados Unidos – depois que ficou claro como os russos usaram Facebook, Twitter e Google para manipular as eleições de 2016 – de estabelecer regulação aos gigantes do Vale do Silício, seguindo os passos da União Europeia. Os europeus escrutinam as práticas anticompetitivas das empresas do Vale do Silício há anos.

“Há fortes razões para acreditar que o Google não tem levado em conta os melhores interesses dos cidadãos do Missouri", disse Hawley, que recentemente anunciou sua candidatura para o Senado norte-americano. A investigação, informou, foi motivada pela desconfiança de que o Google repete nos Estados Unidos o que faz na Europa. Hawley afirmou que investigação preliminar sugere que a companhia não está divulgando com precisão a quantidade de dados que coleta de seus clientes, bem como a forma como isso é feito O Missouri intimou o Google para que informe sobre suas práticas comerciais, mas um porta-voz da empresa, Patrick Lenihan, disse que a companhia ainda não recebeu a citação e afirmou que a empresa tem "forte proteção de privacidade para os usuários" e que opera "em um ambiente de alta competitividade e dinâmico".

As consequências da interferência eleitoral russa via manipulação dos gigantes de tecnologia tem desempenhado um papel importante na mudança de atitudes em relação a essas companhias, disse ao The Washington Post Jay Edelson, fundador do escritório de advocacia Edelson PC, especializado em litígios envolvendo tecnologia e privacidade. “Cinco anos atrás você não veria um procurador-geral anunciar publicamente que está realmente investigando o Google no que diz respeito ao seu principal negócio ", afirmou Edelson, acrescentando que mais procuradores provavelmente estejam examinando Google, Facebook e outras companhias.

Na União Europeia, a Comissão Europeia diz que o Google iniciou ações para minar a concorrência em 2008. Desde então, tenta frear essas e outras práticas da companhia, como a evasão legal de tributos. Em junho deste ano, a UE aplicou uma multa recorde de € 2,4 bilhões ao Google por ter abusado de seu domínio nas buscas na internet para favorecer seu comparador de preços, o Google Shopping.

Leia mais em:

https://www.washingtonpost.com/news/the-switch/wp/2017/11/13/missouri-launches-investigation-into-googles-handling-of-consumer-data/?utm_term=.075a1e89f656&wpisrc=nl_tech&wpmm=1