William Ling participa do 11º Fórum Respostas Capitais, de ZH Zero Hora/Fernando Gomes

William Ling participa do 11º Fórum Respostas Capitais, de ZH

Em sua 11ª edição, o Fórum Respostas Capitais, promovido por Zero Hora, recebeu William Ling, vice-presidente do conselho de administração e integrante do Comitê Executivo da Évora e diretor do Instituto Ling. O evento, conduzido pela jornalista Marta Sfredo, é uma extensão da coluna +Economia, com publicação de conteúdos no site GaúchaZH, no jornal impresso, em vídeo e a partir de encontros presenciais como este realizado na sede do Grupo RBS, na manhã desta terça-feira (31). 

William Ling começou a se engajar em causas e movimentos há mais de 30 anos. Foi um dos fundadores do Instituto de Estudos Empresariais (IEE), entidade que organiza o Fórum da Liberdade, referência internacional de debates. A convicção de que a mudança no país passa pela mudança de ideias, nas instituições, contando com a participação de pessoas esclarecidas, com a capacidade de inspirar e provocar a colaboração, foi o motor para o fortalecimento de seu perfil de empresário-cidadão.

Durante a entrevista, Ling falou a respeito da importância do desenvolvimento de pessoas. As empresas em que atua têm vocação para formar gestores – 70% das posições de liderança são ocupadas por profissionais que iniciaram suas carreiras como estagiários, office-boys e operadores de máquinas – com a possibilidade de alcançar o topo a partir de uma política de promoções, formação interna e investimento em educação.

– A exigência é o negócio continuar crescendo, não para criar impérios, mas para possibilitar que as pessoas cresçam também. Uma das melhores maneiras de manter colaboradores engajados é a perspectiva de que eles podem crescer pessoal e profissionalmente.

O empresário comentou ainda a respeito do Instituto Ling, criado em 1995, com foco em educação, e sobre o investimento em jovens talentos com potencial de liderança, de serem agentes de transformação, a partir da distribuição de bolsas de estudos, além da posterior abertura do centro cultural em Porto Alegre. Ética, formação e perfil profissional e a evolução dos negócios da família desde 1955, foram outros temas do encontro.

– Vejo com otimismo o que está acontecendo no Brasil. Nunca tivemos tanto ativismo na população. Nunca vi tanta gente jovem, bem formada, bem-intencionada, se envolvendo com política partidária. O nosso papel, como elite pensante, é apoiar aquelas pessoas que têm essa coragem – finalizou.

A cada dois meses, o Fórum Respostas Capitais reúne convidados para uma entrevista interativa com personagens que pensam e fazem a economia, como empresários e economistas. Desde novembro de 2015, foram entrevistados o presidente do grupo SLC, Eduardo Logemann, o diretor da rede InterCity, Alexandre Gehlen, o presidente do Grupo Herval, Agnelo Seger, a dona da rede de lojas Tok, Clenir Wengenowicz, o presidente da Lojas Renner, José Galló, o CEO do Grupo Parit, Ricardo Felizzola, o CEO do Estaleiro Atlântico Sul, Harro Burmann, o fundador da 4All, José Renato Hopf, o presidente da Tramontina, Carlos Tramontina e Ricardo Vontobel, sócio da Neugebauer.