Entidade internacional exige das autoridades da Argentina investigação sobre ameaça contra jornalista

Entidade internacional exige das autoridades da Argentina investigação sobre ameaça contra jornalista

As autoridades argentinas devem conduzir uma investigação rápida e transparente sobre as ameaças de morte dirigidas ao jornalista Diego Moranzoni e sua família, exigiu esta semana o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

“Ameaçar jornalistas e suas famílias é inaceitável. As autoridades argentinas devem investigar e deixar claro que levam esses atos a sério”, disse Natalie Southwick, coordenadora do Programa do CPJ para as Américas Central e do Sul. "As autoridades devem garantir que os jornalistas possam trabalhar com segurança e sem medo de represálias", destacou.

Moranzoni afirma que as mensagens, recebidas via Instagram em 13 de fevereiro, exigem que ele interrompa relatos a respeito do caso de Fernando Báez, um jovem que morreu assassinado na província de Buenos Aires em 18 de janeiro. O jornalista apresenta um programa televisivo diário de notícias e opiniões veiculado no portal Crónica.

As mensagens partiram de uma conta que corresponde ao nome de Máximo Thomsen, um dos acusados e detidos pelo assassinato de Báez, segundo informações da imprensa argentina. Moranzoni afirmou ao CPJ que não sabe quem é o verdadeiro dono da conta no Instagram, encerrada logo após a denúncia feita pelo comunicador.

Thomsen e sete outros indivíduos acusados do assassinato estão presos de forma preventiva na prisão de Dolores, em Buenos Aires, até o fim do julgamento.

Leia mais em:

https://cpj.org/es/2020/02/periodista-recibe-amenazas-de-muerte-por-informar-.php#more

https://www.cronica.com.ar/policiales/Amenazaron-de-muerte-a-un-conductor-de-Cronica-HD-Fueron-los-rugbiers-20200214-0033.html