Evgeny Morozov Evgeny Morozov / Reprodução

Inteligência Artificial ensinada por dados coletados pelas gigantes de tecnologia resultará em oligopólio mundial, diz escritor

Algumas poucas empresas estão construindo sistemas de inteligência artificial (IA), e todos os governos, organizações da sociedade civil e indústrias dependerão desta tecnologia, que será controlada por um oligopólio. Essa teoria é tema da coluna desta sexta-feira (2) do jornalista Pedro Doria, em O Globo e O Estado de S.Paulo. “Estamos assistindo ao nascimento de monstros”.

Doria cita Evgeny Morozov, um dos principais defensores dessa tese e que esta semana apareceu na lista de 28 pessoas que farão diferença em 2018 da revista norte-americana Politico. O escritor e doutorando em Harvard discorda da ideia de que os dados, coletados e armazenados por empresas como Amazon, Google e Facebook e usados para veicular publicidade, sejam, para o século 21, o que o petróleo foi para o século 20. “Para Morozov, esta é uma ilusão. O novo petróleo não são os dados, mas a inteligência artificial”, relata Doria.

Ocorre que, na fase pela qual passamos, diz o colunista de O Globo e O Estado de S.Paulo, as grandes massas de dados estão ensinando complexos algoritmos de inteligência artificial – é enxergando padrões se repetirem que sistemas de IA aprendem a prever. “E aí está o pulo do gato: a inteligência artificial está sendo treinada e sofisticada por empresas, como Amazon, Google, Facebook, Microsoft, IBM”.

Para todas as indústrias, governos, democracia, publicidade, afirma Doria, tudo será muito mais eficiente com inteligência artificial. “A um ponto tal que, quem não tiver, estará muito atrás. Serão poucos vencedores. Daí: desigualdade. Na leitura de Evgeny Morozov está nascendo um novo oligopólio”.

Leia a íntegra do artigo em:

http://link.estadao.com.br/noticias/geral,uma-distopia-digital,70002174670

https://oglobo.globo.com/economia/uma-distopia-digital-22356721