Nicarágua repete Venezuela e retém na aduana insumos para impressão dos jornais independentes Reprodução

Nicarágua repete Venezuela e retém na aduana insumos para impressão dos jornais independentes

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, na sigla em espanhol) denunciou que o governo da Nicarágua, do presidente Daniel Ortega, tem repetido o mesmo tipo de repressão utilizado pelo mandatário da Venezuela, Nicolás Maduro, para silenciar os jornais independentes. Desde setembro do ano passado, o governo mantém embargo aduaneiro dos insumos utilizados na impressão dos jornais La Prensa e El Nuevo Diario, os dois únicos diários de circulação nacional no país.

A informação consta no relatório semestral sobre a liberdade de imprensa na Nicarágua, apresentado na reunião de meio ano da SIP, de 29 a 31 do último mês de março, em Cartagena, na Colômbia. O documento relata também que mais de 60 jornalistas independentes foram obrigados a abandonar o país desde abril de 2018. Além disso, foram registrados mais de 700 casos de violência contra o exercício do jornalismo no mesmo período.

Com a retenção dos insumos na aduana, La Prensa – jornal mais antigo da Nicarágua, com 92 anos – e El Nuevo Diario vêm reduzindo número de páginas, suspendendo circulações nos fins de semana e cortando postos de trabalho em todas as áreas. "Temos feito ajustes desagradáveis, mas necessários", lamentou o presidente do Grupo Editorial La Prensa, Jaime Chamorro. O grupo também publica o diário popular "Hoy" e a revista Magazine y Domingo.

Chamorro estima que insumos avaliados em US$ 200 mil seguem retidos pelas autoridades aduaneiros. "Definitivamente não querem que o La Prensa siga sendo publicado", disse. O El Nuevo Diario, jornal de 40 anos, também fez ajustes para resistir ao bloqueio, tal como como reduzir de 24 para 16 o número de páginas do jornal, que tem insumos retidos na alfândega no valor de US$ 100 mil.

Na semana passada, representantes da rede IFEX-ALC, organização de defesa das liberdades de expressão e imprensa, da Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC-ALC) e da SIP informaram que se reunirão, em 15 de maio, com integrantes dos estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU),em Genebra, para propor recomendações com o objetivo de reverter a escalada de repressão na Nicarágua.

As entidades indicam como principal desafio o imediato enfrentamento aos ataques contra jornalistas e o clima de impunidade; à censura indireta; e à criminalização da livre expressão e do direito de reunião.

Leia mais em:

https://www.sipiapa.org/notas/1213119-nicaragua

https://www.sipiapa.org/notas/1213156-sip-condena-al-regimen-daniel-ortega-y-solidaridad-nicaragua