SIP condena repressão à imprensa em meio a medidas de combate à COVID-19

SIP condena repressão à imprensa em meio a medidas de combate à COVID-19

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, na sigla em espanhol) condenou nesta quinta-feira (2) as restrições impostas à atividade jornalística por vários governos das Américas em meio a excepcionalidades estabelecidas sob a alegação de combate à pandemia do vírus causador da COVID-19.  Segundo a entidade, a imprensa tem um papel essencial na democracia para defender o direito do público à informação e não deve haver restrições ao seu trabalho, como enfatizam as constituições e numerosos tratados internacionais sobre liberdade de imprensa.

A SIP informa em resolução que os governos de Aruba, Chile, El Salvador e Trinidad e Tobago, que declararam estados de emergência para combater a propagação da pandemia, impuseram restrições ao trabalho dos jornalistas. Enquanto isso, segundo a organização, os governos de Cuba, Nicarágua e Venezuela têm usado estados de emergência como desculpa para impor maiores restrições à mídia e a jornalistas independentes. Na Venezuela, destaca a SIP, dois jornalistas foram presos por reportar sobre o novo coronavírus.

Na resolução, a SIP ressalta que "uma imprensa livre é condição fundamental para as sociedades resolverem seus conflitos, promoverem o bem-estar e protegerem sua liberdade". A entidade assinala ainda que "a credibilidade da imprensa está ligada ao compromisso com a verdade, à busca de precisão, imparcialidade e equidade", conforme estabelecido pela Declaração de Chapultepec.

Leia mais em:

https://www.sipiapa.org/notas/1213846-la-sip-la-pandemia-covid-19