Notícias falsas e ataques ao jornalismo ameaçam democracias e fortalecem regimes repressores, diz estudo

Pesquisa do Instituto Gallup divulgada nesta quarta-feira (3), Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, reforça o perigo da desqualificação do jornalismo profissional, prática quase cotidiana do presidente do país mais poderoso do Ocidente, Donald Trump. A exemplo de outros relevantes estudos divulgados recentemente, o trabalho do Gallup enfatiza que o problema das notícias falsas enfrentado pelos Estados Unidos e Europa deixa claro que até mesmo as sólidas democracias não estão imunes do uso das mídias sociais pela propaganda de interesses específicos, contrárias à lógica plural do jornalismo. O estudo diz ainda que os defensores da liberdade de imprensa estão diante de um novo desafio que afeta inúmeros países: a propagação de “fake news” nas regiões democráticas e seus impactos negativos têm sido usados pelos países autocráticos para justificar e manter sua políticas repressoras à livre expressão.

O trabalho do Gallup, que avalia a percepção de liberdade de imprensa em 131 países, identificou pequena variação em 2016 em relação ao ano anterior. A mediana (ponto médio entre os índices mais baixos e mais altos entre os países) daqueles que consideram seu país com muita liberdade de imprensa ficou em 61%, enquanto 28% discordam da afirmação. Os índices mais baixos de aprovação aparecem entre países africanos e ex-repúblicas soviéticas. A Mauritânia é a última, com 22%, antecedida por República Democrática do Congo (26%) e Sudão do Sul (28%). Único país das Américas entre os dez últimos, a Venezuela aparece ao lado de Ucrânia e Gabão, com 29% de visão positiva sobre a liberdade de imprensa.

Em contrapartida, o número de entrevistados que consideram seu país com muita liberdade de imprensa supera os 90% na Dinamarca, Noruega, Finlândia, Suíça, Holanda, Irlanda e Suécia. Os Estados Unidos atingiram 82% em 2016. O instituto entrevistou aproximadamente 1.000 adultos em cada um dos 131 países. A margem de erro da pesquisa varia de 2,1 ponto percentual na Índia a 5,3 ponto percentual na Islândia. O índice de confiança é de 95%.

Leia mais em:

HTTP://WWW.GALLUP.COM/POLL/209552/MEDIA-FREEDOM-LARGELY-STABLE-WORLDWIDE-2016.ASPX?G_SOURCE=WORLD&G_MEDIUM=LEAD&G_CAMPAIGN=TILES

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/05/1880939-percepcao-de-liberdade-da-imprensa-varia-levemente-em-2016-diz-pesquisa.shtml